Foto: Reprodução.

Carnaval é sinônimo de diversão, mas também é um bom momento para faturar uma grana extra. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) calcula que 250 mil postos de trabalho diretos e indiretos serão gerados para a folia, demonstrando o quanto a festa momesca em Salvador é importante indutor de oportunidades de negócios, aquecendo a economia local.

O titular da Secult, Claudio Tinoco, ressalta que os preparativos que antecedem aos festejos carnavalescos já vêm impulsionando a movimentação financeira da capital. “É uma festa que se espalha por toda a cidade, não só nos circuitos principais, onde ficam evidentes os artistas com trios elétricos, mas nos palcos de bairros e espaços alternativos”, pontua ele, acrescentando que o segmento do mercado publicitário é um dos que mais geram receita.

A demanda envolve de motoristas de trios aos operadores de som e iluminação; dos responsáveis pela montagem e desmontagem dos camarotes e estruturas instalados nos circuitos até quem confecciona abadás e fantasias; até mesmo aos que atuam nas centrais de vendas de blocos às baianas de acarajé espalhadas em cada canto da avenida.

De acordo com a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), 10 mil vendedores informais serão beneficiados no período, por meio da concessão de cerca de 2 mil licenças.