Cesta básica ficou levemente mais cara em Ilhéus no mês de Janeiro.

A ração essencial mínima, definida pelo Decreto lei 399, de 30 de abril de 1938, que estabelece 12 produtos alimentares (feijão, arroz, farinha de mandioca, pão, carne, leite, açúcar, banana, óleo de soja, manteiga, tomate e café) e suas respectivas quantidades, passou a custar R$352,95 no mês de janeiro na cidade de Ilhéus, um aumento de 0,19% em relação ao mês anterior.

Dos 12 produtos que compõem a cesta básica, seis itens aumentaram de preço: feijão (42,44%), banana da prata (23,32%), manteiga (5,57%), carne (2,58%), café (1,56%) e pão (1,15%). Em contrapartida, diminuiu de preço os seguintes itens: tomate (19,35%), leite (18,85%), farinha demandioca (6%), açúcar (5,32%), arroz (4,01%) e óleo de soja (1,91%).

Em janeiro, o tempo de trabalho despendido para se obter a cesta básica em Ilhéus foi de 84 horas e 34 minutos, um comprometimento de 38,44% da renda – para um trabalhador que recebe um salário mínimo líquido de R$918,16, descontando-se 8% de contribuição previdenciária do salário bruto de R$998,00 – para adquirir os 12 itens da cesta.