Divulgação.

Na última quarta-feira, dia 12 de dezembro, o GAP, Grupo de Amigos da Praia, em parceria com a administração do Presídio Ariston Cardoso, realizou uma Oficina de Criação de Placas Ecológicas com internos da instituição. A iniciativa partiu da psicóloga Larissa Costa, profissional de saúde que se dedica ao complexo processo de ressocialização dos presos.

No primeiro momento, foi realizada uma palestra introdutória para a sensibilização dos participantes sobre a problemática “Descarte inadequado do lixo e suas consequências para os mares e oceanos”, e posteriormente foram confeccionadas as placas. Cada envolvido escolheu a frase ecológica de sua preferência, além ter a oportunidade de escolher a praia em que ela será colocada.

Realizar ações no sistema penitenciário é muito mais do que uma simples atividade. Além de educar, objetiva trazer para o sistema a ressocialização, fazendo com que os internos entendam que aquela passagem não seja apenas uma pena privativa de liberdade.

As oficinas oferecem ao indivíduo a oportunidade de tornar-se melhor e a apresentar uma mínima condição para voltar a viver com os demais de maneira tranquila, resgatando a dignidade e a auto estima. São momentos de reflexão que fomentam o amadurecimento pessoal, através de uma revisão das trajetórias pessoais de cada um.

O retorno à sociedade é um processo delicado, cheios de dificuldades, e iniciativas como essa permitem que os internos se sintam úteis para a cidade, diminuindo o peso do estigma negativo que já sofrem, assim como melhorando a sua imagem pessoal junto à sua comunidade.

Acreditamos que existem alternativas para o sistema carcerário, sendo muitas delas previstas na própria legislação. O que falta na realidade é o comprometimento de todos para que sejam postas em práticas ações que procurem reduzir os níveis de violência e auxiliem na recuperação do interno, afinal a finalidade da pena não é somente punir o condenado, mas também ressocializá-lo.

O GAP é uma ONG que atua na limpeza das praias com coletas semanais de resíduos, além de realizar palestras de educação ambiental e manter campanhas permanentes de sensibilização da comunidade sobre a problemática do descarte inadequado de lixo, tudo isso através do trabalho de seus voluntários. Foi criado em fevereiro do 2018, devido ao abandono em que se encontrava a Praia da Avenida, repleta de lixo por toda a sua extensão. Até os dias de hoje, os voluntários do GAP já retiraram mais de 13 toneladas de resíduos das praias de Ilhéus.

Placas serão distribuídas nas praias de Ilhéus.