FOTO: ASCOM Câmara de Vereadores

A polêmica em torno de possíveis alterações nos limites territoriais do município de Ilhéus foi desfeita na tarde da última terça-feira, dia 27, após audiência pública realizada no plenário da Câmara Municipal.

A audiência, solicitada pelo vereador Ivo Evangelista (PRB), contou com a presença do vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal Soub; da presidente do Instituto Nossa Ilhéus, Maria do Socorro Mendonça, do presidente do Sindicato da Movimentação de Mercadoria em geral do sul e extremo sul da Bahia (Sintrasul), Carlos Augusto (Augustão); do presidente da APPI/PLB, Osman Nogueira, entre outras autoridades.

Em alguns veículos da mídia regional, chegou a circular, há algumas semanas atrás, informações sobre a incorporação de novos pontos territoriais de Ilhéus para o município de Itabuna. Entre esses pontos estariam empreendimentos como Makro, Atacadão e Cidadelle. A notícia gerou grande preocupação entre os ilheenses e motivou a realização da audiência, que foi aberta pelo vice-prefeito José Nazal. Ele confirmou, por meio de documentos enviados à Câmara, que os limites territoriais entre Ilhéus e Itabuna seguem inalterados. “A Câmara aprovou e a lei 3983/2018, que altera, atualiza e delimita a malha distrital do município de Ilhéus, foi sancionada pelo Poder Executivo”, afirmou José Nazal. Na oportunidade o vice-prefeito salientou, no entanto, a necessidade da colocação dos marcos definitivos nos locais especificados e de um pórtico entre Ilhéus e Itabuna.

O vereador José Victor Pessoa lembrou que muitas localidades da cidade já foram incorporadas às administrações de outros municípios. “È uma situação que se arrasta há anos e só se agrava”. O presidente do Sintrasul, Carlos “Augustão” defendeu a adoção de providências para evitar que muitos municípios que fazem limite com Ilhéus continuem avançando, como já vem sendo constatado em muitos distritos e localidades da cidade. “Não podemos permitir que o município continue perdendo parte de seu território, e com isso, mais recursos para investimentos em obras e serviços para seus munícipes”.

Ivo Evangelista acredita que com a criação de uma comissão especial para discutir junto com o Poder Executivo ações para garantir a legitimidade dos marcos e, entre elas, a colocação de placas demarcatórias definitivas, Ilhéus coloque um ponto final nessa discussão. “Esperamos que a audiência tenha ajudado a esclarecer todos os pontos que se referem aos limites territoriais de Ilhéus, que continuam os mesmos e seguem ao que está descrito na lei 3983/2018”.