WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
ilheus brindes
novembro 2018
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  



DEU NA MÍDIA: OAB DEFENDE EXAME DE ORDEM

A imprensa repercutiu o pronunciamento da OAB a respeito de falas do presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre o Exame de Ordem. Em nota, o presidente nacional da Ordem, Claudio Lamachia, afirmou que “o Exame de Ordem é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do Direito” e que o “a OAB busca constantemente o aperfeiçoamento dos cursos de direito no país, requerendo inclusive maior controle por parte do Ministério da Educação para a autorização de abertura de novas vagas, para que a qualidade do ensino não seja comprometida”. Lamachia declarou ainda que “seria importante o comprometimento do futuro governo contra o uso político do MEC que tem patrocinado ao longo dos últimos anos um verdadeiro estelionato educacional ao autorizar o funcionamento de faculdades de direito sem qualificação, contrariando pareceres da OAB e os interesses de toda a sociedade”.

Confira abaixo algumas publicações feitas pela imprensa a respeito da manifestação da OAB:

Estadão: OAB cobra ‘comprometimento’ de Bolsonaro contra uso político do Ministério da Educação

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, defendeu neste domingo, 25, o exame da Ordem, após declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Bolsonaro afirmou que o exame, que é aplicado aos recém-formados em Direito, cria “boys de luxo” para escritórios de advocacia. “O Exame de Ordem é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do Direito. Trata-se de uma prática comum em inúmeros países do mundo, como Estados Unidos e Japão e em praticamente toda a Europa, que tem por objetivo preservar a sociedade de profissionais que não detenham conhecimento suficiente para garantir o resguardo de direitos fundamentais, como a liberdade, a honra e o patrimônio das pessoas”, disse Lamachia. Leia mais aqui.

Zero Hora-RS: A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) respondeu à frase de Bolsonaro, afirmando que o Exame da Ordem cria “boys de luxo” em escritórios de advocacia.

“O Exame de Ordem é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do Direito. Trata-se de uma prática comum em inúmeros países do mundo, como Estados Unidos e Japão e em praticamente toda a Europa, que tem por objetivo preservar a sociedade de profissionais que não detenham conhecimento suficiente para garantir o resguardo de direitos fundamentais, como a liberdade, a honra e o patrimônio das pessoas. É sempre importante esclarecer que o Exame de Ordem não tem número de vagas limitado, todos os que atingem a pontuação mínima podem vir a exercer a advocacia. A OAB busca constantemente o aperfeiçoamento dos cursos de direito no país, requerendo inclusive maior controle por parte do Ministério da Educação para a autorização de abertura de novas vagas, para que a qualidade do ensino não seja comprometida. Aliás, seria importante o comprometimento do futuro governo contra o uso político do MEC que tem patrocinado ao longo dos últimos anos um verdadeiro estelionato educacional ao autorizar o funcionamento de faculdades de direito sem qualificação, contrariando pareceres da OAB e os interesses de toda a sociedade”, afirmou o presidente da OAB, Claudio Lamachia. Leia mais aqui.

Agência Brasil: OAB defende exames para prestar bons serviços à sociedade

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia, reagiu hoje (25) às críticas do presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre a exigência da entidade para os formandos em direitos de se submeter ao exame da OAB para, assim, poder advogar. O exame é considerado de qualificação e difícil pelos estudantes. “O Exame de Ordem é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do direito”, disse Lamachia, em nota, ressaltando que provas semelhantes existem nos Estados Unidos, Japão e Europa. Leia mais aqui.

BandNews FM: OAB defende Exame da Ordem após críticas de Bolsonaro

A Ordem dos Advogados do Brasil reagiu às declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro que fez críticas, neste domingo (25), sobre a exigência de um exame da ordem para poder advogar. Segundo a OAB, o exame é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do Direito. A declaração de Jair Bolsonaro foi dada neste domingo após um evento com antigos e atuais comandantes da Escola de Educação Física do Exército. Ele também disse discordar da ideia do futuro ministro da Saúde, Luiz Mandetta, de aplicar o Revalida para médicos brasileiros. Leia mais aqui.

Migalhas: Bolsonaro encabeça luta contra exame de Ordem há mais de 10 anos

Em defesa do exame, o presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia, afirmou ontem que a prova é importante para aferir a qualidade do ensino do Direito no país. Em nota, disse que a prática é comum em diversos países, como EUA, Japão e praticamente toda a Europa, e que tem por objetivo preservar a sociedade de profissionais que não detenham conhecimento suficiente para garantir o resguardo de direitos fundamentais. Lamachia aproveitou a deixa para cobrar “comprometimento do futuro governo contra o uso político do MEC” na aprovação de novos cursos de Direito “sem qualificação”. Leia mais aqui.

Metropoles-DF: Por meio de nota, o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, rebateu as críticas de Bolsonaro

“O Exame de Ordem é um importante meio para aferir a qualidade do ensino do direito. Trata-se de uma prática comum em inúmeros países do mundo, como Estados Unidos e Japão e em praticamente toda a Europa, que tem por objetivo preservar a sociedade de profissionais que não detenham conhecimento suficiente para garantir o resguardo de direitos fundamentais, como a liberdade, a honra e o patrimônio das pessoas. É sempre importante esclarecer que o Exame de Ordem não tem número de vagas limitado, todos os que atingem a pontuação mínima podem vir a exercer a advocacia. A OAB busca constantemente o aperfeiçoamento dos cursos de direito no país, requerendo inclusive maior controle por parte do Ministério da Educação para a autorização de abertura de novas vagas, para que a qualidade do ensino não seja comprometida. Aliás, seria importante o comprometimento do futuro governo contra o uso político do MEC que tem patrocinado ao longo dos últimos anos um verdadeiro estelionato educacional ao autorizar o funcionamento de faculdades de direito sem qualificação, contrariando pareceres da OAB e os interesses de toda a sociedade”, afirmou Lamachia. Leia mais aqui.

2 respostas para “DEU NA MÍDIA: OAB DEFENDE EXAME DE ORDEM”

  • VERA ABINEDATI says:

    Sindicatos de burgueses, acontece eleição como se fosse uma eleição presidencial, acho errado sim, sindicato se envolver com Curso do MEC, prejudicando vários Bacharéis em Direito advogarem, por causa desse Exame de Ordem criado por eles para beneficio próprio.
    Pagar uma taxa para esse Sindicato de Burgueses para poder trabalhar.
    Um absurdo.Uma piada.
    A Prova não diz quem é ou não é competente para a Carreira de Advogado.
    Pois ao passar na Prova, vários Advogados não sabem nem elaborar uma Petição Inicial, nem tampouco como se comportar em um Audiência.
    Não a essa Prova. E sim Praticas Forense.
    E ainda, depois de passar 5 anos em uma Faculdade, precisa fazer um Curso preparatório para fazer essa Prova do Exame de Ordem, Curso de Valor alto, pois a Faculdade não prepara o aluno para essa Prova.
    É demais.
    Brasil que não oferece emprego, e aparece esse Sindicato de burgueses para interferir num Curso oferecido pelo MEC.
    Não a PROVA.
    E SIM AS PRATICAS FORENSE

  • VERA ABINEDATI says:

    “BOYS DE LUXO” SIM.

Deixe seu comentário

dom eduardo

arquiteto













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia