O prefeito Mário Alexandre participou de reunião com moradores do Condomínio Sol e Mar, do programa Minha Casa Minha Vida, situado à margem da estrada do Couto, promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), quando foi apresentado à comunidade o projeto de trabalho social que será desenvolvido no local. A proposta é realizar uma série de atividades que incentivem boas práticas de convivência.

O encontro aconteceu na quadra esportiva do Condomínio Sol e Mar, na noite de segunda-feira (12), com as presenças do secretário municipal de Desenvolvimento Social, Rubenilton Silva, da gerente de Habitação da Caixa Econômica Federal, Iramaia Rocha, do chefe de Gabinete, Alberto Araíjo, do presidente do Conselho Fiscal do condomínio, José Roberto Oliveira, e do síndico geral do Sol e Mar I, Railson Oliveira, além de moradores do bairro.

Para o prefeito Mário Alexandre, é preciso ter paciência e construir boas amizades. “Na verdade, as pessoas já são sociáveis, mas o que a gente precisa é consolidar isso. Muitas dessas pessoas saíram de áreas grandes onde possuíam animais, cultivavam plantas e aqui, o espaço é menor. Então, é preciso que a gente entenda quais são os deveres e direitos de cada um para uma boa convivência em condomínio”, salientou.

Convivência – O projeto promoverá trabalhos nas áreas de esporte, artesanato, dentre outros, sempre com o objetivo de estimular práticas de socialização. Para Rubenilton Silva, “é preciso que a gente entenda que cada bloco desse é um condomínio com 20 apartamentos e consequentemente, 20 donos diferentes. As pessoas precisam saber lidar com diversas diferenças, conviver com questões de som alto, puxadinhos, etc. Estamos muito felizes porque o Sol e Mar I e II está bem conservado e isso é positivo, sinal de que a própria comunidade está tendo este cuidado”, salientou.

As atividades serão patrocinadas por verba originária do Fundo de Arrendamento Residencial (FHAR), programa do governo federal. A Caixa tem como função acompanhar a execução do trabalho social, além de visitas periódicas ao local e, com base nesse acompanhamento, realizar a liberação das parcelas mensalmente. “De vez em quando faremos visitas e receberemos relatórios que a empresa vai mandar pra gente de todas as atividades desenvolvidas, incluindo fotografias, listas de presenças, entre outros detalhes. Então, eles solicitam os recursos e a gente faz o repasse”, explicou a gerente Iramaia Rocha. Esta avaliação será feita no período de 12 meses, a partir de agora até novembro de 2019.

O síndico Railson Oliveira disse que o projeto chegou para os moradores na melhor hora. “Estávamos realmente precisando de um projeto social e o prefeito Mário Alexandre, com sua equipe, resgatou um que se encontrava perdido. A expectativa é de dias melhores para todos nós e, só temos o que agradecer”, declarou.