A Secretaria da Cultura (Secult) de Ilhéus divulgou o resultado final do edital Manoel Barreto, que contempla projetos elaborados por mestres, contramestres ou de grupos de capoeira do município. Os habilitados foram o “Festival lua branca – a salvaguarda dos antigos mestres na roda”, de Iansamara Feitosa Bahia; “Mulheres e crianças em ação”, Priscilla Celemar Santos Almeida; “Visão de capoeira – tempo, ação e atualidade”, de José Wellington Bispo de Jesus; “Oficina de berimbau do Mestre Virgílio 2019”, de José Virgílio dos Santos; e “Brincando de capoeira – formação pedagógica”, de Rafael Gomes Cruz.

Os projetos serão executados entre janeiro e fevereiro de 2019, e contempla grupos com prêmios de R$ 2,5 mil que atuam nas atividades como batizados e troca de cordões, aquisição de materiais, realização de ações de formação (seminários, oficinas, cursos) e outras formas de criação e apresentação que propiciem o acesso à capoeira.

Pawlo Cidade, secretário da Cultura de Ilhéus, afirma que o edital se baseia em princípios para garantir a simplificação, ampliação e descentralização da distribuição de recursos para a capoeira do município. Um dos objetivos do edital é selecionar propostas para o desenvolvimento da capoeira em diversos bairros e zona rural de Ilhéus, além de organizar as solicitações e a distribuição de recursos financeiros.

Mané Barreto – Manoel Barreto de Oliveira (Mané Barreto) nasceu em Malhador (Sergipe), em 26 de janeiro de 1930. Foi portuário, e se tornou um dos precursores da capoeira na beira do cais, organizando rodas, inclusive nos terreiros de candomblé. Ele foi de um tempo em que a capoeira tomava conta das ruas de Ilhéus.