O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, assinou lei número 3.996/2018, aprovada pela Câmara de Vereadores, que cria a Semana Municipal de Proteção e Combate à Trombose. Dessa forma, a Semana passa a integrar o calendário oficial do Município, a ser celebrada anualmente, no dia 13 de outubro. O objetivo da lei é conscientizar a população sobre as questões relacionadas à doença, notadamente, suas consequências, meios de prevenção e como combatê-la.

De autoria do vereador Ivo Evangelista a proposta está publicada no Diário Oficial eletrônico do município, edição de 24 de outubro. Nesse contexto, poderão ser organizadas campanhas de orientação sobre a trombose, através de parcerias com a iniciativa privada, entidades civis e organizações profissionais e científicas.

No artigo 3º, consta que “as despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário”. Para diagnosticar se o paciente está mesmo com trombose, faz-se necessário realizar alguns exames, sendo o principal deles, a ultrassonografia com doppler, que avalia e identifica a presença de possíveis coágulos.

De acordo com especialistas, trombose é a condição séria caracterizada pela formação de coágulo – amontoado de sangue em estado gelatinoso –, também chamado de trombo, dentro de artéria ou veia, que impede que o sangue flua normalmente pelo sistema circulatório. Ainda pode ser trombose venosa ou arterial.

A trombose venosa é quando o problema ocorre em uma veia (vaso que conduz o sangue para o coração), e tem alta taxa de mortalidade anual em pacientes idosos. Já a trombose arterial acontece em uma artéria (vaso que leva o sangue que sai do coração). Quando se localiza em artérias responsáveis pelo fluxo cerebral pode levar a Acidente Vascular Cerebral (AVC). No caso de vasos ligados ao coração pode ocorrer infarto. Este segundo tipo também pode acontecer nas pernas – e nestes casos é mais conhecida como gangrena. Outra região propensa são as artérias que irrigam os intestinos.