FOTO: Rodrigo Macêdo/PMI

A Secretaria de Educação do Município de Ilhéus (Seduc) realizou o Seminário de Educação do Campo, durante todo o dia de segunda-feira (24), no auditório da Faculdade de Ilhéus. O encontro teve como objetivo atender à Meta 21 do Plano Municipal de Educação (PME), que visa elevar o nível da qualidade do ensino na zona rural. O prefeito Mário Alexandre participou do evento, ao lado da primeira dama, Soane Galvão, secretária de Educação, Eliane Oliveira e do presidente da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), Osman Nogueira, entre outros.

O seminário reuniu profissionais da educação que atuam no campo, estagiários no setor, pais de alunos e outros interessados. Presentes também a professora Célia Miranda, representando o Programa Despertar e Mariângela de Santana, a Diversidade e Inclusão. O município de Ilhéus possui uma das mais extensas zonas agrícolas da região, com 10 distritos rurais.

O tema central, “Um Olhar Multifocal para o PME: Meta 21”, discutiu os desafios, a qualidade de vida e viabilidades para aqueles que vivem direta e indiretamente do campo. O prefeito Mário Alexandre destacou o pioneirismo do evento e disse que “é importante proporcionar condições de trabalho aos profissionais do campo, mas, também, qualidade de vida aos estudantes e àqueles que vivem e dependem do roçado.”

Partindo do princípio de levar educação ao homem do campo, o prefeito salientou: “estamos ao lado do sindicato, pela primeira vez na história, discutindo o que é melhor para o aprendizado no campo, porque a base para uma melhor qualidade de vida para um povo se dá através do diálogo e de ações. Nada resiste ao trabalho”.

A diretora Pedagógica da SEDUC, Luciane Costa, apresentou um diagnóstico sobre a rede de ensino no interior do município e afirmou que “é preciso obter um panorama do campo, dos profissionais da zona rural e de seus empenhos para levar uma educação de bem-estar e fazer uma reflexão sobre o campo e suas necessidades, desejos e obrigações.”

Por sua vez, a secretária Eliane Oliveira destacou as obras de reforma e ampliação realizadas em escolas no perímetro urbano e as ações em curso para as instituições de ensino na zona rural. “Com este seminário, queremos mostrar que o profissional do campo tem o mesmo valor que o da zona urbana. Eles são os gestores das escolas e o que fazemos aqui, parte deste profissional. Somos uma equipe”, afirmou. Conforme a secretária, das 13 escolas do campo, três já foram reformadas e ou ampliadas, e as demais também ganharão obras em 2019.

Na opinião do pedagogo Joselito Alves, que leciona na Escola Municipal do Santo Antônio, trabalhar no campo tem um sentido ainda mais especial, por ser filho de trabalhador rural e ter convivido durante anos diretamente com a terra. “Está sendo uma honra participar deste Seminário com ações voltadas para a população do campo. Costumo dizer que, se o campo não planta, a cidade não janta”, sentenciou o educador.