O secretário municipal de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, recebeu representantes do Coletivo da Luta Antimanicomial de Ilhéus, quarta-feira (15), para discutir a restruturação da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) no município. O grupo reivindica melhoria das condições de trabalho nos atuais serviços de saúde mental, a fim de incluir atenção qualificada às necessidades de urgências e emergências psiquiátricas e aos usuários de drogas, em situação de rua.

Durante a reunião, o secretário mostrou-se receptivo às demandas apresentadas e se comprometeu em planejar intervenções de curto, médio e  longo prazos, para atender as reivindicações. Dentre as demandas, estão a implantação de mais dois Centros de Atenção Psicossocial (Caps), com funcionamento 24 horas (CAPS III e CAPS AD III-Álcool e Outras Drogas), além da mudança da casa onde funciona hoje o CAPS ia (infância e adolescência) e inserção de ações de saúde mental na Rede de Atenção Básica.

O Coletivo da Luta Antimanicomial reúne trabalhadores da saúde mental da rede SUS, docentes de Enfermagem em Saúde Mental da Universidade Estadual de Santa Crus (Uesc), profissionais da Rede Integrada de Assistência Social (Suas) e usuários dos serviços. A pauta apresentada ao secretário Geraldo Magela foi definida a partir de assembleias de usuários e familiares dos Caps,  workshop com trabalhadores das redes citadas e do Programa Crie, da Educação e rodas de conversas, realizadas entre os meses de abril a julho deste ano. Todo o processo contou com participação de cem trabalhadores e apoio incondicional do secretário municipal de Desenvolvimento Social, Rubenilton Silva.