Os vigilantes do Hospital Regional Costa do Cacau, na cidade de Ilhéus, no sul da Bahia, estão com as atividades paralisadas desde a semana passada, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (26) pelo sindicato da categoria.

De acordo com o sindicato, os salários dos trabalhadores estão atrasados há dois meses. A categoria alega também que não recebeu vale-transporte e nem vale-alimentação.

A paralisação começou no dia 16 de julho, conforme o sindicato. Desde então, apenas 30% dos 28 vigilantes que atuam na unidade de saúde está em operação. No entanto, o atendimento no hospital não foi afetado.

Os vigilantes são terceirizados. Segundo o sindicato, o pagamento dos profissionais é de responsabilidade da empresa Savana, que recebe repasse da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), por meio do hospital. No entanto, o pagamento ainda não foi realizado pela empresa.

Em nota, a Sesab informou que tem feito pagamentos consecutivos e regulares à empresa Gerir, que é responsável por administrar o hospital. Segundo o comunicado, o último pagamento foi realizado no dia 17 de julho, no valor de R$5.159.680,96.

Já o hospital, informou, em nota, que a paralisação não está relacionada ao não cumprimento de qualquer obrigação trabalhista por parte da unidade, e sim direcionado à empresa terceirizada com a qual eles mantêm vínculo empregatício, que é a Savana.

No comunicado, a unidade de saúde afirma ainda que tem envidado todos os esforços possíveis no sentido de encontrar uma solução que atenda à legalidade, para resolver o impasse e, dessa forma, atender à justa reivindicação dos vigilantes.

A reportagem entrou em contato com a Savana, que ficou de se posicionar, mas não respondeu até a publicação desta reportagem. Com informações do G1.