Com muita animação aconteceu na tarde desta quarta-feira (20) o “Arraiá” do Abrigo Renascer, em Ilhéus. No clima junino, as crianças do abrigo dançaram quadrilha, participaram de brincadeiras e apresentaram o coral cantando a música “Alecrim” e “Peixinho do Mar” e apresentação musical com flauta, do acolhido E.S com a música “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga, que emocionou o público presente.

A Juíza da Vara da Infância e Juventude, Sandra Magali e a promotora de Justiça do Ministério Público Estadual, Maria Amélia Góes estiveram presentes na festividade. O secretário de Desenvolvimento Social, Rubenilton Silva também prestigiou o “Arraiá Junino”. “É um momento que as crianças gostam muito. Fortalece os vínculos com os acolhidos e as atividades que são desenvolvidas diariamente com elas, promovendo ainda a socialização com a comunidade”, salienta.

Para garantir o clima, o espaço contou com decoração temática, bandeirolas, palha de coqueiro e várias comidas típicas. Os acolhidos dançaram, se apresentaram na quadrilha junina e se divertiram nos brinquedos, recebendo o carinho dos convidados.

Nesta quinta-feira (21) será a vez do “Arraiá Junino” dos abrigos masculino, feminino e institucional. Que também promete muita animação, alegria e descontração para os acolhidos.

Rede de acolhimento – A rede de acolhimento em Ilhéus possui quatro instituições que abrigam crianças, adolescentes e adultos. O Abrigo Renascer atende crianças de zero a 11 anos que estão em situação de risco previamente determinado pelo juiz da Vara da Infância e Juventude. Todas as crianças acolhidas frequentam escola e participam de atividades como natação, balé, oficinas de dança e música.

A instituição Feminina abriga meninas entre 12 e 18 anos vítimas de violências e estão longe do convívio familiar.  As adolescentes estão matriculadas na rede municipal e estadual de ensino e participam também de cursos extracurriculares.

Já a instituição Masculina proporciona aos jovens abrigados acesso à educação, acompanhamento psicossocial, atividades esportivas e cursos profissionalizantes. Os meninos são encaminhados à residência através da Vara da Infância, onde podem ficar até completar a maior idade ou ser conduzidos para um local seguro para moradia, participando de ações conforme as suas aptidões.

A instituição de Adultos e Família realiza um trabalho permanente de acolhimento das pessoas que estiverem em situação de rua, elas passam primeiro pela equipe do Centro de Referência Especializado para Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop), tendo o perfil adequado, é encaminhado para a instituição. A rede de acolhimento é um serviço de alta complexidade e integra o Sistema Único de Assistência Social (Suas).