A ideia do vereador é criar um projeto para implantar um Hospital Veterinário.

Percebendo a carência no atendimento veterinário público aos animais, principalmente os de estimação de pessoas de baixo poder aquisitivo, o vereador Fabrício Nascimento (PSB) vem mobilizando seu mandato para viabilizar melhores condições para esses animais em Ilhéus. Uma delas é a criação de um hospital veterinário público.

Na última sexta-feira (20) o vereador Fabrício visitou o Centro de Zoonose de Ilhéus para verificar a situação de estrutura, que foi foco de uma indicação, pedindo melhorias, no ano passado.

Juntamente com o presidente do Conselho de Saúde, Rafael Santos, o vereador conversou com funcionários vistoriou a Zoonose, e constatou que desde o seu pedido junto à Prefeitura para realizar melhorias no local, algumas mudanças foram feitas, como a contratação de novos profissionais. “O atendimento veterinário está acontecendo, principalmente castração. Mas faltam antibióticos dados pela prefeitura. Muitos são doados por colaboradores. Vamos voltar a conversar com a secretária de Saúde sobre o problema.”, disse Fabrício.

Outra questão que chamou atenção do vereador, é a torre de água que está instalada no Centro de Zoonose, e está com sua base toda comprometida pela ferrugem podendo ocasionar um grave acidente. Fabrício também entrou em contato com o secretário e Serviços Públicos, Jorge Cunha solicitando limpeza no Centro de Zoonose.
Hospital Veterinário gratuito – Por meio do requerimento número 100/2018, Fabrício solicitou um projeto que viabilize a Prefeitura de Ilhéus a implantar um hospital veterinário, já que cresce a cada dia o número de animais de estimação no município de Ilhéus, e o único hospital gratuito nesta especialidade funciona na UESC, longe da sede.

A prioridade seria o atendimento dos animais de famílias em situação de vulnerabilidade social e que pertençam a programas sociais do governo. Essas famílias que não podem arcar com os custos de um veterinário particular, poderão ter acesso ao Hospital, após uma entrevista realizada pelos assistentes sociais do local que decidirão se há a legítima necessidade de utilizarem do serviço.

Segundo o vereador, em caso de emergência o hospital receberia diretamente os animais, e teria serviços de cirurgias, exames laboratoriais, e internações. “A zoonose tem um trabalho diferente de um hospital veterinário, e já passou da hora do município de Ilhéus, principalmente pelo seu grande porte, ter esse equipamento. Por lei é considerado maus tratos deixar de prestar assistência veterinária aos animais doentes, feridos e mutilados, por isso o hospital pode sanar esse tipo de problema”, finalizou Fabrício Nascimento.