A execução de agenda de eventos para os próximos 16 anos através do Programa Cultura 500 é a proposta da Secretaria de Cultura de Ilhéus (Secult). Uma das sugestões é criar consórcios culturais com a participação de municípios do sul da Bahia que possuam tradição criativa nos campos da literatura, do cinema, da música, das artes populares, do desenho, da arte digital e da gastronomia com fins de preservação para incentivar o desenvolvimento socioeconômico; transformar a criatividade em produtos comercializáveis; firmar parcerias com a iniciativa pública e privada; além de realizar o inventário do patrimônio material e imaterial de Ilhéus e instituições e agentes culturais.

De acordo com o secretário de Cultura, Pawlo Cidade, a cultura é uma das áreas mais promissoras dos próximos 16 anos, sobretudo numa cidade que completa 500 anos de fundação em 2034. “Com o advento do sistema municipal de Cultura a possibilidade de parceria-público-privada, a transversalidade da cultura e o conjunto de negócios baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade transformarão Ilhéus num dos municípios mais criativas da Bahia”, destacou.

Na opinião do secretário, o Programa Cultura 500 aponta questões e proposições sobre a importância simbólica, cidadã, econômica e estratégica da cultura, e sua capacidade de otimizar as engrenagens da economia no município. “Juntos, poder público, sociedade civil e comunidade cultural irão construir uma Ilhéus mais humana, mais territorial, mais criativa e mais solidária. Para isso, é preciso pensar a cultura para além da divisão geográfica, elaborar e propor iniciativas que fortaleçam o território e os municípios circunvizinhos”.

Metas – No bojo do novo plano de ação da Secult consta a realização de algumas metas, dentre elas a institucionalização da cultura (pró-fomento) que visa a execução de oficinas, mostra de arte, encontros, cursos e seminários; cultura inclusiva que aponta reformar a Casa de Cultura Jorge Amado, a criação de centros de cultura populares nas zonas rurais e regiões norte e oeste da cidade, programação cultural do Teatro Municipal estimulada, ônibus de cultura em funcionamento e a retomada do Projeto Seis Meia.

Constam ainda nas ações propostas o programa de empreendedorismo cultural que sugere a semana de aniversário do escritor Jorge Amado e os festivais de quadrilhas juninas, de corais, de gospel de música, de canção e de literatura. Já o programa de fortalecimento da história de Ilhéus (pró-memória) indica promover nos bairros, distritos e localidades rurais para explorar e valorizar sua história reconhecida; a efetivação do calendário cultural, turístico e religioso do município; além de implantar ações educativas de patrimônio para os espaços comunitários.