WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
coronavirus 155 Neste site
novembro 2017
D S T Q Q S S
« out   dez »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

:: 5/nov/2017 . 23:14

‘NÃO ENTENDI NADA’, AFIRMA ESTUDANTE SURDA QUE PRESTOU A PROVA DO ENEM

Jovem recebeu auxílio de intérprete, mas tradução foi apenas de palavras. Profissional diz que surdos precisam entender o contexto das orações. Foto: Reprodução. 

Uma estudante surda de Santos, no litoral de São Paulo, encontrou dificuldades para responder às questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado no último fim de semana. Embora uma legislação específica garanta que o candidato com deficiência auditiva receba auxílio de um intérprete em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), as duas profissionais que assistiram Natália Carla, de 19 anos, traduziam apenas palavras, seguindo uma recomendação da coordenadoria regional da prova. A norma dificultou a interpretação do contexto das perguntas e alternativas por parte da jovem, já que LIBRAS não utiliza preposições ou conectivos em textos, como a língua portuguesa. A estudante escreveu uma carta de próprio punho e levará o caso à promotoria de Justiça, sugerindo mudanças.

No documento, ela relata a dificuldade que encontrou durante o exame. “O surdo não entende a estrutura da língua portuguesa. Apenas quem fala português entende o Enem. Os surdos precisam de interpretação do conteúdo de toda a prova. Não entendi nada. Precisamos de Tudo em Libras, por favor”, pede a jovem.

As provas do Enem devem seguir a Recomendação nº 001/2010 do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) que aborda sobre “a aplicação do princípio da acessibilidade à pessoa surda ou com deficiência auditiva em concursos públicos, em igualdade de condições”. Libras foi oficializada como a segunda língua brasileira, após a publicação da Lei nº 10.436/2002. 

:: LEIA MAIS »

TEMA DE REDAÇÃO DO ENEM É VISTO COMO DESAFIADOR PARA CANDIDATOS

Com o tema “Desafios para Formação Educacional de Surdos no Brasil”, a redação do Enem 2017 (Exame Nacional do Ensino Médio), aplicada neste domingo (5) em todo o Brasil para mais de 6,7 milhões de candidatos dividiu a opinião de internautas e de especialistas.

Muitos elogiaram a visibilidade que a redação deu aos desafios na educação de surdos no Brasil, enquanto outros classificaram o tema como de difícil desenvolvimento. 

Para a professora de pedagogia bilíngue do Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) Patrícia Rezende, o tema é considerado “impactante”.

“Este tema vai representar uma maior visibilidade sobre os desafios da educação de surdos neste país. Pois trata-se de um assunto polêmico porque sofremos uma política que não condiz com a qualidade de ensino para surdos. Precisamos de uma política linguística urgente neste país”, avaliou Patrícia, que também foi diretora de políticas educacionais da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis).

Para ela, quem não tiver conhecimento sobre questão linguística e cultural da comunidade surda pode ter dificuldades para escrever a redação, que tem como tema Desafios para Formação Educacional de Surdos no Brasil. Do Agência Brasil.



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia