O governador Rui Costa estará em  Ilhéus nesta quarta-feira (28). Às 15 horas, ele visita as obras nova Ponte Ilhéus-Pontal; e às 17 horas participa da solenidade de comemoração dos 483 anos de fundação da cidade e da entrega de Comenda do Mérito de São Jorge dos Ilhéus, no Teatro Jorge Amado. Em seguida, o governador estará presente na abertura da 107ª. Assembleia Geral Ordinária da Convenção Estadual das Assembleias de Deus da Bahia.

 INFORMAÇÕES PONTE ILHÉUS PONTAL – Nove meses depois de iniciada, a nova ponte que irá ligar a zona sul ao centro de Ilhéus, que está sendo executada pelo Governo da Bahia, com investimentos de  R$ 99,6 milhões, e  que terá a função de pavimentar novos caminhos de desenvolvimento para a população de sete municípios cortados pela BA 001, já tem 13% de sua engenharia executada, 200 trabalhadores em atividade e uma previsão de entregar uma das obras mais esperadas pela população de Ilhéus daqui a 15 meses.

A primeira ponte estaiada da Bahia, que  será um dos novos cartões postais do município e desafogará a velha Ponte Lomanto Júnior – a única que liga desde 1966 o continente à ilha de São Jorge dos Ilhéus – terá 533 metros de comprimento e 24,6 metros de largura. Terá passeio, canteiro central, pistas duplas nos dois sentidos e uma ciclovia. O conjunto da obra inclui 2,2 quilômetros de rodovia, que se encerrarão ao lado da Catedral de São Sebastião, ao norte, e do Hotel Opaba, ao sul.

Estrutura moderna – A nova ponte terá uma formatação mais moderna, valorizando ainda mais as belezas da Baía do Pontal, e beneficiará mais de 510 mil habitantes dos municípios de Ilhéus, Itabuna, Una, Canavieiras, Buerarema, Itacaré e Uruçuca, além de favorecer o turismo na região. Além disso, prepara o sul da Bahia para receber novos investimentos privados e públicos, principalmente com a chegada do sistema intermodal que inclui a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e o Porto Sul, também atraídos pelo Governo da Bahia, dando um outro ritmo a economia regional.

“A estrutura da nova ponte será mista”, explica o engenheiro Suzano Mendes, gerente de contrato da obra. 298 metros dela serão de trecho estaiado, uma estrutura sustentada por cabos. Os 235 restantes, por conjunto armado. “Já passamos pela fase de engenharia que ninguém vê a obra”, brinca o engenheiro. Dos 10 apoios auxiliares, nove já estão em fase de conclusão da fundação. Agora a construtora trabalha para levantar um dos símbolos da nova ponte: a fundação do mastro principal, que terá 20 fundações em estacas encravadas com diâmetro de dois metros, a 31 metros de profundidade. Esta operação deve durar 90 dias.

Em seguida será a vez da montagem do “Balanço Sucessivo”, um diferencial da obra, já que é um método de construção da superestrutura (parte superior) da ponte, sem necessitar de apoio externo (uso de estacas) para dar continuidade da expansão da ponte. O prazo é de mais 10 meses. “Esta é, sem dúvida, o maior simbolismo do avanço da ponte”, assegura o engenheiro. O aterro construído sobre o canal da baía do Pontal, Suzano Mendes explica que daqui a 18 meses toda a estrutura de pedras será retirada e devolvida ao seu local de origem.