Funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) participaram da última sessão da Câmara de Vereadores de Ilhéus, realizada na quarta-feira (07). Representados pelo diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos no Estado da Bahia (Sicotelba), JosevalCunha, os funcionários explanaram sobre a dificuldade em realizar o serviço pleno à comunidade.

De acordo com ele, a estrutura física e a demanda recebida pela unidade dos Correios, não evoluiu a ponto de acompanhar o crescimento de Ilhéus. A chegada de novos bairros aumentou o número de correspondências e encomendas, que não conseguem chegar a seu destino por falta de funcionários e veículos. Para funcionar numa escala perfeita, a unidade deveria possuir 44 funcionários, porém o quadro atual conta com 38 carteiros, que se revezam para atender a comunidade.

Ele conta que alguns carteiros já sofreram agressões por parte de populares que acreditam ser deles a culpa do atraso na entrega das correspondências. “Nosso intuito em vir aqui neste plenário é conscientizar a população que nós não somos os culpados pelo que vem acontecendo, temos um acúmulo de aproximadamente 250 encomendas por dia e fazemos o possível para atender os ilheenses”, informou. Ainda segundo ele, um carteiro tem trabalhado por dois ou mais, os Correios não realizam concurso público há algum tempo e a manutenção dos veículos utilizados por eles é precária.

Outra preocupação da classe é com relação às placas com nomes das ruas que não possuem identificação, forçando os agentes a “decorarem” os endereços para realizarem as entregas. Na oportunidade, o vereador Makrisi Sá informou que havia solicitado, através de indicação, ao Executivo Municipal, a confecção e instalação de placas com sinalização do nome e CEP de cada rua; para minimizar a dificuldade dos órgãos públicos em encontrar os endereços.

Eles ainda informaram que estão buscando apoio político e da sociedade civil para que os Correios não sejam privatizados, pois caso aconteça, a prestação do serviço será ainda mais prejudicada. Os vereadores Paulo Carqueija, Ivo Evangelista, Pastor Matos e o presidente Lukas Paiva apoiaram e incentivaram o grupo a procurar seus órgãos representativos como associações e sindicatos para melhorar a estrutura da unidade e garantir um serviço de qualidade para os ilheenses.