Antes, todos utilizavam água da rede distribuidora de forma clandestina.

Antes, todos utilizavam água da rede distribuidora de forma clandestina.

A equipe da Embasa responsável pelo combate às fraudes em Ilhéus iniciou, na sexta-feira (17), os procedimentos necessários para regularizar o abastecimento de água de 14 residências da Aldeia Igalha, situada no quilômetro 14 da rodovia Ilhéus-Olivença. A ação soma-se à regularização, já finalizada, de outros 39 imóveis no mesmo local.

 “O trabalho de combate às fraudes é ostensivo, mas também agimos no esforço de regularizar a situação do usuário, de modo a beneficiá-lo com a prestação adequada dos nossos serviços. Às vezes ele tem direito a uma cobrança diferenciada, como no caso da tarifa social e intermediária, diminuindo o impacto desses serviços no orçamento familiar”, afirma o gerente do Escritório Local da Embasa em Ilhéus, José Lavigne.

O cacique José Sival Teixeira de Magalhães avaliou de forma positiva a intervenção: “Nosso interesse é ter água de qualidade e na quantidade adequada para abastecer as famílias que vivem aqui. Por isso, vemos de forma tranquila a cobrança tarifária que passará a acontecer na aldeia”.

A Embasa está intensificando as ações de combate às fraudes em todo o estado e age no esforço de sensibilizar a população para evitar o desperdício de água, uma vez que muitos mananciais para abastecimento ainda não se recuperaram dos efeitos da estiagem prolongada. No último dia 3 de março, nove residências de médio e alto padrão, na praia do Cururupe, foram flagradas utilizando água por meio do delito conhecido como “gato” e tiveram as ligações clandestinas removidas. O furto de água é crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, com pena prevista de detenção de um a quatro anos e pagamento de multa.

A utilização indevida contribui para o desperdício e interfere na pressurização da rede distribuidora, diminuindo a oferta de água aos consumidores regulares do sistema. Além disso, o manuseio inadequado das tubulações pode contaminar a água. Usuários que suspeitarem de abastecimento clandestino podem formalizar denúncia pelo telefone 0800 0555 195 ou no site www.embasa.ba.gov.br. O sigilo da identidade será preservado.