Diante de mais uma investida terrorista do desgoverno de Jabes Ribeiro, ameaçando de demissão servidores efetivos do quadro da prefeitura municipal, as entidades abaixo-assinadas solidarizam-se com os mesmos e suas entidades sindicais representativas, também alvos de ataques do prefeito na ânsia de tentar esconder a incapacidade administrativa, irresponsabilidade política e insensibilidade com a vida de centenas de pais e mães de famílias.

A decisão de demitir os trabalhadores legalmente contratados no período de 1983 a 1988, sob o fundamento de que é necessário para a realização de concurso público não tem consistência ou amparo legal. Estes contratos são válidos e protegidos pela Constituição Federal. Alegar que tal decisão decorre de exigência do Ministério Público do Trabalho (MPT) ou dos sindicatos, é apenas a confissão de que ele pretendia realizar uma licitação ilegal no valor de 58 milhões de reais como forma de tentar burlar as leis e fazer um grande negócio que deve ser do interesse de alguns, menos do povo de Ilhéus.

A irresponsabilidade é tanta que o prefeito chega a afirmar que, além das demissões, não pagará os direitos trabalhistas decorrentes das mesmas, gerando mais um ônus judicial para as futuras gestões que sucederão esse governo, felizmente com data certa para acabar.

Ao mesmo tempo, demonstrando sua má-fé e contradizendo seu discurso de que busca negociação, o prefeito encaminha à Câmara de Vereadores uma proposta de Estatuto do Servidor Público Municipal de Ilhéus com sérios prejuízos para os trabalhadores, que já amargam 3 (três) anos seguidos sem revisão salarial, acumulando perdas que já superam os 20%. O faz sem nenhuma discussão com os sindicatos, como estava previsto na lei municipal, aprovada em 2013, que mudava o regime jurídico dos servidores de celetistas para estatutários e tenta acabar com vários direitos, como por exemplo o FGTS.

Nesse sentido, declaramos nosso apoio aos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público de Ilhéus, bem como aos sindicatos que os representam, repudiamos as agressões e ameaças emanadas do prefeito Jabes Ribeiro e nos colocamos à disposição para todas as mobilizações e lutas em defesa dos empregos e direitos dos mesmos.

CTB, Força Sindical, CUT, Sindicato dos Bancários de Ilhéus, Sindiborracha, Sindicacau, Sindcomerciários, Sindhotel, Sindicato dos Metalúrgicos,  Sindpoc, Sindicato dos Rodoviários e  Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil.