colo-coloNesta segunda-feira (23), uma reunião envolvendo a polícia militar da Bahia, representada pelo major Câmara, o Colo-Colo de Futebol e Regatas, representado pelo diretor comercial e de logística Ângelo Reis, e a prefeitura de Ilhéus, representada pelo coordenador de Administração de Estádios, Jezimiel Oliveira Ferreira, tratou de um ofício do Batalhão Especial de Policiamento em Eventos (da PM-BA), encaminhado ao clube ilheense pela Federação Baiana de Futebol (FBF).

No texto, o comandante Carlos Henrique Ferreira Melo solicita à FBF, o cumprimento da lei estadual 12.959 de 14 de fevereiro de 2014, que proíbe vendas de bebidas e tudo que ponham em risco aos torcedores em isopores ou carrinhos, permitindo, somente, a venda em bares, lanchonetes e cantinas do estádio.

Segundo o órgão, “o próprio isopor ou carrinho pode ser arremessado no gramado ou mesmo em outros espectadores, fato este já ocorrido em outras partidas”.

A polícia militar, ainda, afirma que no jogo entre Vitória e América-RN, no estádio Manoel Barradas, tal venda foi efetuada.

No caso do estádio não conter local fixo de venda, o documento estabelece que não haverá vendas de bebidas.

Após o envio da PM para a FBF, a entidade de futebol repassou o ofício a todos os clubes em atividade, dividindo a responsabilidade para facilitar o cumprimento da lei.

O Colo-Colo, junto à prefeitura e autoridades locais da PM, já tomou as devidas providências para evitar que no estádio Mário Pessoa aconteçam as irregularidades citadas.