Banda Di Bali comandou o Reveillon Popular de Ilhéus.

Banda Di Bali comandou o Reveillon Popular de Ilhéus. Foto: Secom Ilhéus.

O Carnaval Cultural de Ilhéus 2015, que acontecerá de 14 a 17 de fevereiro, terá como tema central os 30 anos do axé. De acordo com o secretário de Cultura, Paulo Atto, a festa se concentrará num palco montado nas proximidades da Catedral de São Sebastião. Nos quatro dias de evento, o público terá acesso a shows e programação especial.

No sábado, 14, primeiro dia de festa, o Carnaval Cultural será aberto às 20h, com o baile da terceira idade, comandado pelos cantores Lito Vieira e Bebeto; a folia continua com Tuca Fernandes, a partir das 22h; a festa será encerrada com Keketa e Banda, a partir da meia noite. No dia 15, domingo, a programação conta com baile infantil, comandado por Márcia Alencar, às 17h; às 20h, será a vez da banda Mania de Pagode; às 22h, se apresenta a banda 5%; fechando a noite se apresenta a banda Di Bali, a partir das 00h. O terceiro dia do Carnaval Cultural começa às 20h com a banda Di Balada; às 22h, sobe ao palco a cantora Alinne Rosa; fecha a penúltima noite a banda Comigo Ninguém Pode. A programação será encerrada no dia 17, quando, às 20h, será inaugurado o Ponto do Samba, com o grupo Samba Light; segue a festa, às 22h, com o pagode da banda Pagod’Art; a festa será finalizada com o som da banda Zhara.

As bandas – No cenário musical ilheense há oito anos, a banda Circuito Fechado é comandada por Keketa e traz em seu repertório desde o axé ao rock. O cantor Bebeto, radicado em Ilhéus, é considerado um dos mais versáteis e talentosos da região. A banda Di Bali, comandada pela cantora Amanda Andrade, foi formada em 1997, em Ilhéus. A vocalista já ganhou prêmios como o Troféu Jupará.

O grupo Dibalada tem como vocalista Alan Souza, mais conhecido como Kyko. A banda chama atenção ao mesclar o axé music com diversos gêneros musicais. A Banda Zahra tem como intuito resgatar a musicalidade da região cacaueira, inspirando-se em grandes cantores que a cidade já teve, como Reizinho e Saul Barbosa. Criado em 2012, o grupo Sambalight é conhecido por tocar partido alto e se apresenta em eventos na cidade. Já a banda de samba Comigo Ninguém Pode é formada por oito integrantes, que decidiram se juntar em abril de 2010. Alguns dos integrantes já trabalharam com Edson Gomes e na banda Sambágua.