A Coelba inicia a partir da próxima segunda (08) mais uma etapa do programa que visa a troca de geladeiras velhas por aparelhos novinhos que consomem menos energia e são vendidos a preços abaixo do mercado. 

A empresa oferece três tipos de refrigeradores no programa, com os seguintes valores e características: 1 porta com capacidade de 261 litros, no valor de R$ 369; duplex branca de 306 litros e duplex inox de 276 litros, ambos por R$460; e duplex frost free, por R$ 769. Os preços são válidos enquanto durarem os estoques. Os valores reais dos equipamentos são R$ 999, R$1.090 e R$ 1.399, respectivamente.

Os produtos podem ser comprados e divididos em até 10 vezes. O restante do valor é pago pela Coelba, com verba do Programa Anual de Eficiência Energética, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel.

Para aderir ao programa, é preciso não consumir mais que 80kWh/mês e possuir o Número de Inscrição Social (NIS). As inscrições no programa e a venda das geladeiras serão feitas na loja da Insinuante do Calçadão Marquês de Paranaguá, no centro da cidade, até o dia 23 deste mês. Os aparelhos serão entregue de acordo com a demanda.

Segundo a Coelba, os refrigeradores velhos serão desmontados respeitando a legislação ambiental.

Para conferir todos os requisitos para aderir ao programa, clique no leia mais.

– Estar cadastrado na Tarifa Social de Energia Elétrica da Coelba (apresentar fatura de energia elétrica constando NIS – Número de Inscrição Social ou BPC – Benefício de Prestação Continuada);

– Ter mais de 18 anos;

– Estar adimplente com a Coelba (podendo quitar os débitos para participar do projeto);

– Estar com fornecimento regular de energia;

– Ter média mensal dos 3 maiores consumos dos últimos 12 meses igual ou maior de 80kWh/mês;

– Ter refrigerador antigo para entregar;

– Não ter participado ou não estar participando de outro projeto de eficiência energética da Coelba;

– Procurar o balcão de atendimento do projeto nas lojas parceiras e adquirir apenas os equipamentos predeterminados;

– Ter NIS (apto a ser cadastrado na Tarifa Social de Energia) ou BPC ou procurar o órgão da Prefeitura responsável pelo Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e realizar a inscrição.