uesc3Professores da UESC voltaram a se reunir na manhã de ontem (segunda, 14) para discutir as recentes negociações com o governo Wagner envolvendo campanha salarial e melhorias nas condições de trabalho.
A assembleia foi resumida pela Adusc, associação da categoria, como de intenso debate, que mostrou a disposição dos docentes para o enfrentamento à “política de precarização imposta pelo governo Wagner às Universidades Estaduais Baianas (UEBA)”.
Os docentes aprovaram o indicativo de greve, com realização de um seminário sobre as prioridades orçamentárias do governo e seus impactos na universidade, para o dia 29 de Abril próximo, e uma nova paralisação no dia 28 de Maio. A mobilização que também acontecerá nas demais universidades, pretende fortalecer o debate internamente e unificar a luta com as demais categorias.
A categoria protesta contra o reajuste linear oferecido pelo governo que, segundo a categoria, sequer repões as perdas da inflação.Especificamente na UESC, a pauta se estende a denúncias sobre as condições inadequadas das salas de aula para exercício das atividades acadêmicas, falta de professores, laboratórios, o desrespeito aos direitos trabalhistas de docentes e técnicos, além da insuficiência nas políticas de assistência estudantil.