petroA Petrobrás atingiu recorde de processamento em suas refinarias no mês de março, informou a companhia. A carga média processada no mês passado foi de 2,151 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), superando em 12 mil barris diários o recorde de julho de 2013, de 2,139 milhões de barris diários, segundo nota da companhia.
A Petrobrás também atingiu recorde na produção de diesel e gasolina com baixo teor de enxofre em suas refinarias.
Foram produzidos 4 milhões de barris de diesel S-10 (com concentração de 10 partes por milhão (ppm) de enxofre), 20 milhões de barris de diesel S-500 (500 ppm de enxofre) e 14,8 milhões de barris de gasolina S-50 (50 ppm de enxofre).
As contas da Petrobrás têm sido abaladas nos últimos meses pelo déficit em sua produção de combustíveis, que obriga a empresa a importar, revendendo os produtos no país com preços abaixo do mercado internacional.
A Petrobrás também registrou em março produção recorde na camada pré-sal.
A produção média mensal de petróleo operada pela companhia no pré-Sal atingiu em março 387 mil bpd.
A produção tende a crescer ainda mais, já que em 3 de abril entrou em operação o poço 7-SPH-04-SPS, no campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos.
“Esse poço, que tem potencial de produção de 26 mil barris de petróleo por dia, está conectado à plataforma de produção de 120 mil barris por dia de capacidade, o FPSO Cidade de São Paulo”, informou a Petrobrás.
A Petrobrás destacou ainda a produção do poço SPS-77A, também ligado ao FPSO Cidade de São Paulo, que produz 36 mil bpd desde o 18 de fevereiro de 2014, fazendo dele o poço de maior produção atualmente no Brasil.
Gás natural. A Petrobrás ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 100 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural entregues ao mercado consumidor, disse a empresa. No dia 26 de março, a companhia disponibilizou um total de 101,1 milhões de metros cúbicos
Destes, 45,1 milhões de metros cúbicos foram destinados ao mercado termelétrico e 42,5 milhões de metros cúbicos ao mercado não termelétrico, do qual fazem parte indústrias, residências, veículos, sistemas de cogeração e outros.
O restante foi entregue às unidades da Petrobrás. Em março deste ano a geração de energia elétrica nas usinas termelétricas da Petrobrás foi de 5.000 MW.
Considerando as usinas para as quais a Petrobras fornece gás natural, a geração chegou a 7.613 MW, representando cerca de 12 por cento da demanda de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN).
Em nota, a companhia atribuiu os recordes ao “aumento da produtividade de seu quadro de empregados”.