concurso1 (1)Está na hora de se preparar para as 47.112 vagas anunciadas pelo Ministério do Planejamento na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2014, já sancionada pela presidente Dilma Rousseff.
As vagas federais englobam os três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e são relativas a cargos vagos já existentes, sendo que 42.353 poderão ser aproveitadas para o atendimento de demandas dos órgãos por novos quadros de pessoal e outras 4.759 estão reservadas, em separado, para concursos com a finalidade específica de substituição de terceirizados, informou o Ministério, por meio da sua assessoria de imprensa.
“As seleções de 2014 visam a recomposição da força de trabalho em áreas de atuação estratégica, tais como segurança pública, infraestrutura, saúde, educação, formulação de políticas públicas e gestão governamental”, reforçou em nota.
A Prefeitura de Fortaleza informou que estão em análise concursos para o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor); Instituto Municipal de Pesquisas Administração e Recursos Humanos (Imparh); Secretaria Municipal da Educação (SME); Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), além do Instituto Dr. José Frota (IJF).
O Governo do Estado ainda não definiu quais certames serão realizados neste ano, conforme a assessoria de imprensa da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag).
 Garanta uma vaga – O diretor pedagógico do Tiradentes Concursos, Vanderlan Feijó, argumenta que três características são essenciais para quem deseja garantir, pelo menos, uma dessas vagas: disciplina, foco e perseverança.
Seja estudando em casa ou em cursos preparatórios, o candidato precisa saber administrar o tempo e selecionar apenas o conteúdo efetivamente cobrado no edital. “É por isso que é tão difícil estudar por conta própria. Já vi inúmeros casos de pessoas que estavam estudando tópicos que dificilmente caem nas provas, e o pior, coisas que sequer estavam no programa”, explica Giovanna Carranza, professora do Master Concursos.
“O cursinho é vantajoso porque já fornece o material selecionado por professores da área, os quais conhecem os macetes de cada instituição elaboradora das provas. Estudar em casa deveria ser apenas um complemento das horas em sala de aula”, aponta Vanderlan.
O especialista ressalta que ter uma rotina de estudos é definitivo. Enquanto os concursos considerados mais fáceis exigem cerca de três horas diárias de estudo e três meses de aulas, os mais difíceis podem exigir do candidato mais de cinco horas diárias e até dois anos de preparação.