WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
bahiagas Neste site
abril 2014
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: 4/abr/2014 . 18:11

ALELUIA: PREFEITURA DE ITABUNA VAI COIBIR A FARRA DOS PANFLETOS NO CENTRO

panfletos na ruaCoisa chata é andar pela Avenida Cinquentário, no Centro de Itabuna, e tropeçar a cada 10 metros num braço estirado lhe oferecendo um panfleto, às vezes até de uma mesma empresa ou serviço. Tudo bem que cada um quer ganhar o seu pão, mas que abusa, abusa.
A Prefeitura de Itabuna deu inicio a uma discussão para coibir o abuso na distribuição de propaganda volante em forma de panfletos que acabam sendo jogados aos montes nas ruas e avenidas centrais da cidade. O assunto foi tema de um encontro que reuniu empresários locais e os secretários municipais de Indústria, Comércio e Turismo, José Humberto Martins, e de Desenvolvimento Urbano, Marcos Monteiro na manhã desta sexta-feira.
O encontro teve como principal foco a busca de uma solução conjunta para o problema, cada vez mais comum em Itabuna. A proposta sugerida foi o lançamento de uma campanha educativa envolvendo as empresas que mais distribuem panfletos e setores da comunidade.
A questão voltará a ser debatida no próximo dia 15, a partir das 15 horas, na Prefeitura de Itabuna. Na oportunidade, os empresários poderão contribuir com sugestões para a campanha de conscientização.
“O problema não é só a sujeira, mas principalmente o transtorno em dias de chuva, com alagamento de ruas em função do acumulo do lixo que quase sempre vai parar nas bocas-de-lobo” diz o secretário José Humberto Martins.

MAIS UM CAPÍTULO DA SAGA “PERGUNTAR NÃO OFENDE”: CADÊ OS R$ 3 MILHÕES DA OPERAÇÃO TAPA-BURACOS?

A prefeitura de Ilhéus afirma ter gasto R$ 3 milhões contratando a empresa Montanha, responsável em tapa os buracos das vias da cidade. Só que, tal trabalho não foi visto por nenhum ilheense. Onde foi parar esse dinheiro? Ah, vale lembrar que a citada empresa, também prestava serviços para a gestão do ex-prefeito Newton Lima. Cheiro de algo mui estranho paira no ar. Foto: Jerberson Josué.

A prefeitura de Ilhéus afirma ter gasto R$ 3 milhões contratando a empresa Montanha, supostamente responsável em tapar os buracos das vias da cidade. Só que, tal trabalho não vem sendo visto por nenhum ilheense, e os buracos são cada vez mais onipresentes, a exemplo desses, situados no entroncamento da avenida Lomanto Júnior com a rua 13 de Maio, no Pontal. A pergunta é: Onde foi parar esse dinheiro? Ah, vale lembrar que a citada empresa também prestava serviços para a gestão do ex-prefeito Newton Lima. Cheiro de algo mui estranho paira no ar. Foto: Jerberson Josué.

IPEA ADMITE QUE ERROU, E AFIRMA QUE 26% DOS BRASILEIROS ACHAM QUE MULHERES QUE MOSTRAM O CORPO MERECEM SER ATACADAS

O número que causou indignação no país e no mundo na última semana estava errado: pesquisa dizia que 65% dos brasileiros acreditam que mulheres que mostram o corpo merecem ser atacadas. No entanto, o número real é 26%, segundo errata divulgada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), do governo federal, nesta sexta-feira (4).
Segundo o Ipea, por uma troca nos gráficos da pesquisa divulgada, o resultado estava errado. Os percentuais corretos são: 26% concordam, total ou parcialmente, com a afirmação “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”; e 70% discordam, total ou parcialmente. Outros 3,4% se dizem neutros.
De acordo com informações da Folha de S.Paulo, o diretor da área social do Ipea pediu a sua exoneração assim que o erro foi detectado.
A pesquisa, com os dados errados, motivou a campanha #eunãomereçoserestuprada, que teve grande repercussão .
O erro, classificado como “relevante” pelo Ipea, ocorreu devido à troca de resultados com outra pergunta. A questão perguntava aos entrevistados se eles concordavam com a afirmação de que “mulher que é agredida e continua com o parceiro gosta de apanhar”. Neste caso, 65,1% concordavam, segundo a errata divulgada pelo órgão (na primeira divulgação, esse percentual era de 26%)
Apesar do erro, de acordo com o instituto, “as conclusões gerais da pesquisa continuam válidas, ensejando o aprofundamento das reflexões e debates da sociedade sobre seus preconceitos”. O levantamento ouviu 3.810 pessoas de ambos os sexos entre maio e junho de 2013.

TEATRO: “1789” TERÁ SESSÃO EXTRA NO SÁBADO EM ILHÉUS

Misturando personagens reais e fictícios, a série de acontecimentos retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana. Foto: Felipe de Paula.

Misturando personagens reais e fictícios, a peça retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana. Foto: Felipe de Paula.

Devido à grande procura por ingressos para esta sexta-feira (04) às 20 horas, a ópera afro-rock “1789” terá sessão extra na noite deste sábado (05), na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI). A apresentação acontecerá às 19 horas, com entradas a R$ 20 inteira e R$ 10 meia para estudantes, idosos e titulares do Cartão TPI. Os ingressos podem ser pagos em dinheiro, nos cartões de crédito ou débito e ainda com o Vale Cultura.
O enredo de “1789″ começa em uma fábrica de processamento de cacau, em uma fictícia Ilhéus do ano de 2089. Os trabalhadores lutam por melhores condições, desejam parar de exportar a matéria-prima e produzir o próprio chocolate. A partir disso, são dados saltos no tempo e espaço até o século XVIII, entre Brasil e Portugal.  Misturando personagens reais e fictícios, a série de acontecimentos retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana.
A rebelião histórica aconteceu entre os anos de 1789 e 1791, no atual povoado ilheense de Rio do Engenho, quando os cativos ficaram insatisfeitos com o tratamento recebido, paralisaram suas atividades e tentaram negociar melhorias. Além de contar o fato, considerado embrião do movimento sindical no Brasil, a ópera afro-rock apresenta questões mais profundas, como a necessidade de novos olhares e posturas.
O elenco é composto por artistas do TPI e do Terreiro Matamba Tombenci Neto, descendente dos escravos que protagonizaram o fato histórico. A trilha sonora é executada ao vivo, com direção musical de Elielton Cabeça, coreografia de Zebrinha e maquiagem de Guto Pacheco. O texto e a direção são de Romualdo Lisboa. O espetáculo volta à programação da Tenda TPI no dia 11, às 20 horas.

ILHÉUS: GARIS AFIRMAM QUE ORDEM DA PREFEITURA É VARRER A SUJEIRA DAS RUAS E JOGAR NO MAR

lixo-do-mar-1
Em contato com a nossa redação, uma leitora afirmou que essa semana, flagrou na avenida Lomanto Júnior, no Pontal, dois garis varrendo a sujeira acumulada na calçada da via e jogando o lixo na baía.
Ao reclamar com os servidores municipais, a leitora relatou que eles afirmaram que essa é a ordem dos seus superiores e que, segundo eles, é melhor jogar o lixo na água do que deixar na rua.
Na ocasião, segundo ela, os garis ainda a ironizaram: “Tá achando ruim? Posta no Face”.
A leitora nos informou que entrou em contato com o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), e que o órgão estadual se comprometeu em autuar, mais uma vez, a secretaria municipal de Meio Ambiente.

TRABALHO ESCRAVO EM CRUZEIRO DE LUXO

Foto: Rogério Paiva

Operação da PF ocorreu no porto de Salvador. Foto: Rogério Paiva

Uma operação conjunta deflagrada por procuradores e auditores fiscais do Trabalho resgatou na manhã da última terça-feira (1º) 11 trabalhadores que estavam em condições de trabalho análogo ao de escravos no Porto de Salvador.
Os profissionais eram empregados da MSC Crociere, empresa que explora cruzeiros marítimos, e estavam a bordo do navio MSC Magnifica. De acordo com as denúncias, os funcionários cumpriam jornadas de trabalho de até 11 horas diárias e sofriam com assédio moral, além de outras irregularidades.
O resgate aconteceu a partir de uma força-tarefa que colheu depoimentos das supostas vítimas. Os resgatados foram levados para um hotel e, até então, receberam apenas os dias trabalhados. O Ministério Público do Trabalho (MPT) já ajuizou uma ação cautelar para bloquear os bens da companhia a fim de garantir a indenização de todos os resgatados. Desde o início do mês, as denúncias feitas por trabalhadores do navio estavam sendo investigadas pela força-tarefa, formada pelo MPT, Ministério do Trabalho e Emprego, Defensoria Pública da União e Secretaria Nacional de Direitos Humanos, com apoio da Polícia Federal.
Os trabalhadores relataram que tinham uma jornada de trabalho excessiva, sem direito a folgas, e que constantemente eram agredidos verbalmente, humilhados e punidos pelos superiores, além de sofrer assédio sexual.
Os primeiros depoimentos foram coletados no Porto de Santos, em São Paulo, e terminou em Salvador, quando outros empregados brasileiros prestaram depoimentos à força-tarefa. A embarcação aportou em Salvador com mais de 3 mil passageiros, segue para Recife nesta sexta-feira (4) e, depois, para Europa. O MPT deve propor um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que a empresa regularize a situação dos tripulantes. Caso recuse assinar o termo, o órgão ajuizará uma ação na Justiça do Trabalho para que regularize os contratos de trabalho de acordo com a legislação brasileira. A MSC é de origem italiana.

BRASIL É O 2º PAÍS COM O MAIOR NÚMERO DE JORNALISTAS ASSASSINADOS EM 2014

ESTADÃO
violencia jornalistaUm levantamento publicado hoje pela entidade PEC (Press Emblem Campaing), com sede na Suíça, aponta que apenas o Iraque registrou um maior número de mortes de jornalistas que o Brasil em 2014.
Os dados revelam que cinco jornalistas foram assassinados no Iraque nos três primeiros meses do ano. Já no Brasil, o número chegou a quatro, o mesmo que foi registrado no Paquistão.
O número de mortes no Brasil seria ainda superior ao que foi registrado na Síria, país em plena guerra civil e com dois mortos, ou no Afeganistão com 3 mortes.
O governo brasileiro havia prometido uma série de medidas para garantir a proteção de jornalistas e a ONU vem apelando para que o Brasil puna os responsáveis pelos assassinatos.
A entidade revela que, em apenas três meses, 27 jornalistas foram assassinados enquanto trabalhavam pelo mundo. O número é praticamente o mesmo do que havia sido registrado no mesmo período de 2013, com 30 mortes.
Um dos destaques é justamente o fato de que o número de vítimas em protestos também aumentou. Neste ano, quatro profissionais perderam suas vidas cobrindo manifestações no mundo, na Ucrânia, Egito, Paquistão e no Brasil.

CONFLITO INDÍGENA NA BAHIA CHEGA À ONU

índios (2)O Conselho Indigenista Missionário (Cimi), o Serviço Inter-Franciscano de Justiça, Paz e Ecologia (Sinfrajupe) e a Vivat Internacional protocolaram na Organização das Nações Unidas (ONU), no dia 27 de março, uma denúncia sobre diversas violações dos direitos do povo Tupinambá de Olivença, que mora na Serra do Padeiro, localizada no sul da Bahia.  Nos últimos seis meses, cinco Tupinambá e um agricultor foram assassinados no interior da terra indígena.
Na manifestação levada à ONU, as entidades afirmam que os índios da região sofrem um “longo histórico de violações de seus direitos” e lembra os assassinatos ainda não elucidados de cinco indígenas no sul da Bahia.
Sobre o conflito de terras no sul da Bahia, leia também: CORPO DE AGRICULTOR ASSASSINADO É VELADO EM BUERAREMA | ÍNDIOS TÊM CASAS INCENDIADAS EM BUERAREMA | MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ENVIA FORÇA NACIONAL PARA CONTER CONFLITOS EM BUERAREMA | CONFLITO INDÍGENA: JOAQUIM BARBOSA DÁ DURO GOLPE EM DONOS DE TERRAS DO SUL DA BAHIA | MINISTRO PARA PROCESSO DE DEMARCAÇÃO NA BAHIA E CHAMA FUNAI ÀS FALAS
A carta ataca a “militarização do território tradicional” ocupado pelos tupinambás e a morosidade do processo de demarcação das terras, “parado em alguma gaveta do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, há dois anos”.
Na denúncia encaminhada à ONU, as entidades chamam atenção da organização para a “inversão de prioridade do governo”, que “desrespeita a legislação interna e internacional ao não garantir o uso social da terra e o direito dos indígenas”, e pede auxílio na apuração dos crimes cometidos contra as comunidades.

SEM FUNCIONÁRIOS, ESCOLA SUSPENDE MERENDA EM ILHÉUS

Não faltam os alimentos, muito menos estrutura física para que os estudantes dos três turnos do Colégio Estadual de Salobrinho, em Ilhéus, recebam a merenda regularmente. 
Desde a última quarta (02), a merenda foi suspensa porque as merendeiras terceirizadas foram deslocadas para limpar as salas de aula, já que o pessoal da limpeza foi demitido pela Delta Empreendimentos, que decretou falença.
Segundo informações de uma funcionária do colégio, não há previsão de contração de novos trabalhadores para tapar os buracos.

TRÊS UNIVERSIDADES BAIANAS ABREM INSCRIÇÕES EM CONCURSOS

Três Universidades federais na Bahia abrem hoje as inscrições para concursos com vagas na área técnico-administrativa. Ao todo, são 257 oportunidades para cargos de níveis médio/técnico e superior, com salários que chegam a R$ 3,7 mil.
Na Ufba, há 11 vagas para técnico de laboratório (química) e técnico em música (violino), analista de TI, diretor de produção, enfermeiro, farmacêutico bioquímico, museólogo, músico e tradutor intérprete (inglês).
Na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), são 92 vagas e, na Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), são 154 postos. As inscrições devem ser realizadas até próximo dia 22, no portal www.concursos.ufba.br.

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia