PIMENTA
Na sede doentia por cargos, deputado do PP se comporta como um pequeno coronel, representante da velha política que imperou na Bahia nos tempos de ACM.

Na sede doentia por cargos, deputado do PP se comporta como um pequeno coronel, representante da velha política que imperou na Bahia nos tempos de ACM.

Nas negociações em torno do processo sucessório, o PP tem seu peso e briga por espaço, o que é normal. Mas o que incomoda a muita gente, inclusive dentro do partido, é a voracidade e agressividade do deputado estadual Mário Negromonte Jr. quando o assunto é ocupação de cargos na máquina administrativa.
Como um esfomeado, o “Baby Hitler’, como alguns passaram a chamá-lo, atropela a tudo e a todos para abocanhar fatias cada vez maiores do poder. A atitude, e as artimanhas, não são em defesa do PP, mas do “próprio si”, e causam aborrecimento ao governo, tumultuam a relação e constrangem até os correligionários.
Gente do próprio PP avalia que Negromonte Jr. se comporta como um pequeno coronel, representante da velha política que imperou na Bahia nos tempos de “Malvadeza”. Como os tempos são outros, o aprendiz de ditador segue firme para o isolamento.