A peça Auto do Boi estará em cartaz hoje, a partir das 20h. Foto: Karoline Vital.

A peça Auto do Boi da Cara Preta estará em cartaz hoje, a partir das 20h. Foto: Karoline Vital.

O palco da Tenda Teatro Popular de Ilhéus receberá dois espetáculos nesta semana. Na quinta-feira (19), estará em cartaz o musical infanto-juvenil Auto do Boi da Cara Preta, às 20 horas. E a Cia. de Dança Sôanne Marry estreia Casa de Farinha. A montagem será apresentada às 20 horas de sexta-feira e sábado (20 e 21) e às 19 horas do domingo (22). As entradas custam R$ 20 a inteira e R$ 10 para estudantes, idosos e titulares do Cartão TPI.
O espetáculo da Cia. Boi da Cara Preta traz a animação e o colorido da festa do bumba meu boi para contar como surgiu a canção de ninar mais entoada do Brasil. O texto de Romualdo Lisboa narra as aventuras do vaqueiro Mateus para tentar agradar sua mulher Catarina, grávida e desejando a língua do boi do temido coronel Firmino. Para alcançar seu objetivo, ele acaba encontrando diversos personagens da cultura nordestina. A direção musical é de Elielton Cabeça e a direção geral de Tânia Barbosa.
Casa de Farinha mostra as dores e alegrias dos escravos traduzidas na dança, teatro e música. A montagem da Cia. de Dança Sôanne Marry e do Ballet Folclórico IFBA campus Ilhéus é inspirado nos livros Farinha, Madeiras e Cabotagem: a capitania de Ilhéus no antigo sistema colonial, do historiador Marcelo Henrique Dias, e Tambores de Angola, de Robson Pinheiro.
Segundo a diretora do espetáculo, Sôanne Marry, quando se fala em escravidão, a primeira lembrança da mancha histórica é o sofrimento dos cativos. Mas, apesar das amarguras, os negros também cantavam e dançavam. “As casas de farinha dos engenhos eram subsídio de trabalho e também de divertimento”, complementou.