camaraAlém dos bafafás no plenário, recorde o mais recente aqui, a câmara de Ilhéus pode permanecer um tanto mais no limbo graças a alguns vereadores que estariam surrupiando o tíquete alimentação de seus assessores.
A denúncia foi feita pelo blog Políticos do Sul da Bahia. Segundo a página, cada gabinete tem direito a 3 mil reais por mês para distribuir entre os assessores. Mas os tíquetes, sabe-se lá por que, precisam passar, antes, pelas mãos dos vereadores.
A burocracia teria facilitado que alguns parlamentares, que recebem 10 mil reais de salário, se apoderassem dos cartões antes que os assessores pudessem ter acesso.