Clique para ampliar.

Clique para ampliar.

O fotógrafo Flávio Rebouças traz, até o fim deste mês, a exposição fotográfica Porto de Trás: imagens de um quilombo urbano. O ensaio relata aspectos da economia tradicional ligada à pesca e a relação entre a singularidade de uma comunidade tradicional correlacionada com a dinâmica de um bairro periurbano.
Reconhecido pela fundação Palmares como quilombo urbano, o Porto de Trás é fonte de resistência da cultura de matriz africana, mantendo manifestações seculares, a exemplo do Samba Duro e a festa do Bicho Caçador.
Além de integrar o estudo exploratório do Núcleo de Estudos Afro-Baiano Regionais (KÀWÉ) nos quilombos de Itacaré, as fotografias são o resultado do Trabalho de Conclusão de Flávio Rebouças, agora formado em Comunicação Social pela UESC.
Nas fotografias, nota-se um cuidado e respeito pela história que antecede, permite e reverbera o momento capturado. Em 2012, o fotógrafo foi premiado no Concurso Cabruca de Fotografia e em 2013 no Concurso Cultural Fotografe o Brasil, promovido pela IstokPhoto e Canon.
As cinquenta imagens estão expostas no Foyer da Biblioteca da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) até o dia 14 de novembro, posteriormente seguirão para o Centro Cultural Tribo do Porto de 18 a 23 de novembro e no Foyer do Teatro Municipal de Ilhéus de 25 de novembro a 06 de dezembro, em homenagem ao mês da Consciência Negra.O projeto pretende visitar outras cidades baianas.