Presidente da Bahiagás elogiou iniciativa do Ministério Público.

Presidente da Bahiagás elogiou iniciativa do Ministério Público.

O Prêmio Melhor Escola do Ano, premiação que reconhece o esforço escolas públicas da Bahia para melhorar seu desempenho, com foco em um ensino de qualidade, será entregue neste sábado (26) a 15 escolas públicas baianas. A iniciativa é da Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado da Bahia (Fesmip/BA), como parte do programa “O MP e os Objetivos do Milênio: Saúde e Educação de Qualidade para Todos”, que conta com o patrocínio exclusivo da Companhia de Gás da Bahia – Bahiagás.
As escolas receberão equipamentos de cozinha, instrumentos musicais e material esportivo, entre outros itens, durante a programação do I Congresso Integrador Nacional do Programa “O MP e os Objetivos do Milênio”, que começou nesta quarta-feira (23) e prossegue até sábado (26), na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus.
Na abertura do evento, o promotor público Clodoaldo Anunciação, idealizador do programa que fiscaliza as condições de funcionamento de escolas e unidades de saúde públicas na Bahia, agradeceu o patrocínio da Bahiagás à iniciativa e observou que a premiação é uma forma de incentivar o empenho de quem trabalha pela educação. A cerimônia contou com a presença do diretor-presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, de representantes de universidades baianas, fundações José Silveira e Odebrecht e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). “Nós fiscalizamos o serviço e cobramos qualidade na educação, mas não basta apontar os erros. É preciso reconhecer quando as escolas passam a funcionar melhor”, disse o promotor Anunciação.
Davidson Magalhães elogiou a iniciativa do Ministério Público e ressaltou que o Brasil tem razões para comemorar quando se trata de ações voltadas ao combate às desigualdades sociais nos últimos dez anos. “Saímos de uma situação em que 25% da população estava abaixo da linha de pobreza para um índice de 4,5%”, frisou Magalhães, declarando que a luta contra a miséria tem impacto significativo no acesso à educação.
“Nós não entendemos desenvolvimento apenas como questão econômica, mas sim em suas relações com as demandas sociais”, afirmou o presidente da Bahiagás. Ele citou o leilão para exploração de petróleo no Campo de Libra, realizado no início desta semana, ressaltando que 75% dos recursos que o Estado irá auferir com a exploração do pré-sal serão destinados à educação. “Isso vai permitir investimentos expressivos em uma maior qualidade do ensino em todo o país”, salientou.
ONU – Os chamados “Objetivos do Milênio” foram estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000, com metas a serem atingidas até 2015. Além de educação básica de qualidade para todos, estão incluídas as seguintes propostas: acabar com a fome e a miséria, igualdade entre os sexos e valorização da mulher, redução da mortalidade infantil, melhoria da saúde das gestantes, combate à Aids, malária e outras doenças, qualidade de vida e respeito ao meio ambiente e trabalho voluntário em prol do desenvolvimento coletivo.