TRIBUNA 
redacao-enem-2011-notasPara reforçar a preparação dos alunos da rede de ensino do Estado da Bahia inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado em todo o país nos dias 26 e 27 deste mês, envolvendo 7,1 milhões de estudantes, os professores estaduais ressaltam algumas dicas que podem ser úteis na hora da prova de linguagem e redação.
Segundo o professor de língua portuguesa Edson Lima, os estudantes precisam ficar atentos a todas as informações que surgem na prova. “O melhor método é ver, analisar e julgar. É importante interpretar todos os elementos da prova, tanto o texto como as imagens, charges, mapas e gráficos. A linguagem não verbal facilita a compreensão das questões”.
Ele sugere como exercício para treinar esse tipo de interpretação, a observação das cartelas publicadas com frequência nas redes sociais. Segundo o docente, a cobrança da prova de linguagem e códigos é por uma gramática contextualizada. “As informações trazidas na prova ajudam a organizar o pensamento. Não vemos mais tantas cobranças por conceitos. O estudante deve saber identificar, por exemplo, a transitividade do verbo, regência e concordância. Precisa ter ideia que, naquele momento, ele é o sujeito”.
Redação – Este ano, os critérios ficaram mais rígidos. A prova tem praticamente a mesma estrutura do ano passado, mas apresenta três mudanças que dão mais rigor à correção. Redações com trechos não relacionados ao tema proposto ou com algum tipo de deboche serão anuladas. Haverá maior exigência no domínio da norma culta. A terceira mudança busca aumentar o número de redações que irão para um terceiro corretor, em caso de grande diferença entre as notas aplicadas pelos dois primeiros corretores.
A professora de redação Daniela Machado, também dá dicas. “O estudante deve prestar atenção para evitar as marcas de oralidade, separação de sílabas, chavões, gírias e ditados populares. Precisa cuidar também da estética do texto, cuidando das margens e da caligrafia”.
Tranquilidade – De acordo ainda com a professora Daniela Machado, “o mais importante é ter tranquilidade, ler o texto motivacional mais de uma vez, ler o tema, interpretar e formular a tese da redação logo no início da prova. Orientamos os estudantes a construir o seu rascunho e deixar para transcrevê-lo somente no final, assim eles terão a oportunidade de revisar o texto”.
A leitura de jornais e revistas e a pesquisa por temas da atualidade são imprescindíveis para fazer uma boa redação, enfatiza Daniela. “O estudante só consegue escrever sobre o que ele conhece. É bom fazer uma revisão do que está acontecendo no Brasil e no mundo, bem como as diferentes perspectivas apresentadas acerca de um mesmo assunto”. Sobre o formato do texto, a professora orienta uma construção de quatro parágrafos, sendo um para introdução, dois para o desenvolvimento e um parágrafo final para a conclusão.