telexfreeUm divulgador da Telexfree no Mato Grosso será ressarcido em R$ 300 mil pela Ympactus Comercial, representante da empresa, por decisão da Justiça.
O valor é referente ao investimento para aquisição dos serviços da Telexfree. A decisão, em tutela antecipada, é da juíza Milena Ramos de Lima, da 6ª Vara da Comarca de Alta Floresta (MT), que determinou o bloqueio do valor nas contas da empresa e a vinculação da quantia ao autor da ação.
A Telexfree é acusada pelo Ministério Público do Acre de operar em esquema de pirâmide financeira no Brasil, o que é proibido.
Desde junho, as atividades e contas da empresa estão suspensas por decisão da 2ª Vara Cível de Rio Branco.
O divulgador mato-grossense alegou ter comprado 99 kits de contas de telefonia Voip 99, na modalidade de “Adesão ADCentral Family” e que, para isso, desembolsou R$ 301,4 mil.
O autor da ação não apresentou provas materiais em juízo mas, mesmo assim, a magistrada acolheu a acusação porque casos semelhantes já foram julgados na mesma corte.
A decisão foi comunicada ao Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), onde tramita a ação que bloqueou as contas, bens e atividades da Telexfree em todo país.
O comunicado pede que o depósito do ressarcimento seja realizado em uma conta judicial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT). Essa já e a terceira decisão de ordem de bloqueio de bens da empresa no Mato Grosso.