prisco3004-1Segundo matéria publicada no site Bahia Notícias, o vereador soteropolitano Soldado Prisco (PSDB), líder da greve da Polícia Militar da Bahia, em fevereiro de 2012, retirou, no dia 20 de agosto deste ano, R$ 680 dos cofres da câmara municipal de Salvador para viabilizar sua ida a Brasília, onde participou de um ato da categoria.
Há exato um mês, o edil e cerca de 300 policias militares, civis e bombeiros invadiram o Congresso Nacional para cobrar a votação da PEC 300, que estabelece o piso salarial nacional das categorias.
Contatado pelo site, o vereador que, segundo o site da CMS, usou o dinheiro para hospedagem, disse que a Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra) financia as incursões do grupo ao Planalto Central. “São eles que financiam cada representante”, reconheceu. Outro consultado, o deputado estadual e também policial militar, Capitão Tadeu (PSB), confirmou a informação cedida por Prisco: “A Aspra financia seu representante”.
O tucano informou ainda que ficou na capital federal por três dias, diferentemente dos dois declarados no site da Casa. Para ele, a invasão foi positiva e a classe organiza para outubro uma nova mobilização.