Por Felipe Chaves Magalhães, estudante

felipe chavesPortanto, não é isso que torna nossa história  mais suja, aliás isso é lógico, qualquer um que encontrasse uma nova terra ia explorar para enriquecer. Eu quero lamentar  foi  quando a família real e sua comitiva chegou ao nosso Brasil, com medo das tropas napoleônicas , desalojando propriedades com força bruta, trabalhadores perdendo comércio que conseguiu com o trabalho próprio ao longo dos anos, tudo isso para que Dom João VI e sua raça com mais de 15 mil homens não perdesse o conforto que tinha na metrópole, garantindo trabalho  aos mesmos.

Quando penso na independência do Brasil, eu não consigo ter orgulho do meu país, afinal,  sempre me vem em mente a palavra corrupção e seus sinônimos, e a quase certeza de que nossas terras parou no tempo  de 1500 se compararmos, principalmente aos dias atuais, mais o que uma coisa teve a ver com a outra? Em que momento essas partes se ligam?
Se analisarmos bem essas ideologias e viajar de volta ao passado, podemos ver um jogo de interesses dos mais ricos frente a nossa terra, desde os tempos de outrora em que as caravelas portuguesas chegavam neste novo continente prometendo aos nativos catequiza-los  e civiliza-los com histórias bíblicas, pois bem, foi isso o que aconteceu primeiramente, enganando-os  tendo em vista a exploração diretamente do pau brasil no litoral nos primeiros 30 anos da nossa história como colônia, retribuindo-os com pequenas miudezas. Anos se passaram até os primeiros escravos africanos chegarem nessas terras e começarem de vez a exploração das riquezas, foram anos e mais anos de exploração das terras com produção latifundiária sem qualquer cuidado, sem contar a exploração de ouro e diamante das terras das Minas Gerais, nem mesmo revolucionárias revoltas como a rica história dos quilombos dos Palmares, da conjuração Baiana e da pré-descoberta inconfidência  mineira pelo governado Visconde de Barbacena, movimento este feito por sua maioria de filhos de nobres brasileiros que foram estudar ideias iluministas na Europa, calaram a voz dos grandes portugueses.

Portanto, não é isso que torna nossa história  mais suja, aliás isso é lógico, qualquer um que encontrasse uma nova terra ia explorar para enriquecer. Eu quero lamentar  foi  quando a família real e sua comitiva chegou ao nosso Brasil, com medo das tropas napoleônicas , desalojando propriedades com força bruta, trabalhadores perdendo comércio que conseguiu com o trabalho próprio ao longo dos anos, tudo isso para que Dom João VI e sua raça com mais de 15 mil homens não perdesse o conforto que tinha na metrópole, garantindo trabalho  aos mesmos. Pior ainda foi quando a família real deixou o Brasil, levando muitas riquezas e deixando seu “primogênito” Dom Pedro I que abriu os portos brasileiros permitindo que a Inglaterra negociasse diretamente com a colônia pois Portugal implementara de vez uma monarquia parlamentarista aonde enfraquecia diretamente o poder do rei local. Foi nessa situação que Dom Pedro comprou a nossa independência. Foi senhores, nossa liberdade foi comprada por um “Rei” português que declarou independência por interesses próprios, e já nascíamos com uma divida de 2 milhões de libras esterlinas com a Inglaterra, e há quem duvide disso repetindo a falsa frase do nosso imperador dita as margens do rio Ipiranga que aprendemos nas nossas escolas. 
Se olharmos outras  historias como a rica independência dos nossos vizinhos do Norte e de grandes batalhas europeias, como a revolução Francesa  cuja  história de liberdade é intrinsecamente original, feita pelos colonos e pelo povo para conquistarem o seu direito de ser liberto das mãos dos mais nobres, poderosos  e exploradores, e se rapidamente compararmos com o Brasil atual veremos que sempre fomos “colônia de exploração” .Infelizmente não podemos mudar o passado, mas podemos lutar no presente para sermos libertos de vez dos mais poderosos.
E eu volto a te perguntar, as mesmas perguntas que te fiz bem anteriormente
A aí? Faz sentido?