wagnerO governador Jaques Wagner foi escolhido, ontem, o 33º no ranking “Os 60 mais poderosos do país”, elaborado pelo portal IG, que analisa o poder e a influência de grandes nomes brasileiros.
Escolhido por ser “atualmente capaz de ir além do prestígio e do reconhecimento na política e na economia do país”, o gestor é descrito como “bom negociador, bom bombeiro e hábil na difícil tarefa de contornar crises”.
Em seu perfil, é destaque a simpatia que tem do ex-presidente Lula, após o auge das denúncias envolvendo o escândalo do mensalão, em 2005.
“Jaques Wagner cresceu mais ainda, tanto interna como externamente, no papel de moderado interlocutor das oposições. Por conta dessa função, consta que o carioca-baiano tenha ganhado mais um apelido, dado por Lula: Pacificador”, diz parte do texto.
Com três das cinco estrelas referentes às influências política, econômica e social que exerce e apenas uma estrela em relação à influência midiática, o nome do petista aparece acima de políticos como o presidente da Câmara Federal, Henrique Alves, e do governador do Rio, Sérgio Cabral. Wagner também aparece à frente de figuras como o banqueiro Joseph Safra e os empresários Eike Batista e Abílio Diniz.