CORREIO
Músicos foram ouvidos hoje.

Músicos foram ouvidos hoje.

A audiência de instrução do caso New Hit foi retomada nesta terça-feira (3) em Ruy Barbosa, no interior baiano, trazendo resultados de um novo laudo da perícia. Os nove integrantes da banda e um policial militar que fazia segurança do grupo, são acusados de estuprar duas adolescentes no ônibus da banda em agosto de 2012, depois de um show da New Hit. Ao final da tarde, a audiência voltou a ser suspensa.
Os acusados chegaram por volta das 9h e não deram entrevistas. Um dos advogados de defesa, no entanto, falou com a imprensa e demonstrou confiança. “Certamente a Justiça será feita”, disse Denis Leão.
As duas adolescentes foram representadas pela advogada do Cedeca Isabella da Costa Pinto. “Elas estão sendo assistidas pela rede de atenção à infância e estão seguras embora tenham grande dificuldades de superar essa situação”, afirmou à TV Bahia.
Os resultados de laudos divulgados na audiência hoje informam que 8 dos acusados teriam participado dos estupros. “O laudo veio corroborar na íntegra os depoimentos das vítimas”, disse a promotora Marisa Jansen, no intervalo para almoço, às 14h. Ao R7, a promotora informou que o sêmen de 6 dos acusados foi encontrado nas vítimas, mas outros dois também mantiveram relações sem ejacular.
O advogado Rogério Matos denunciou à imprensa que teria sido agredido verbalmente pelo prefeito do município e ameaçou prestar queixa na delegacia. Segundo o delegado Marcelo Cavalcante, isso ainda não aconteceu. Uma confusão aconteceu em um restaurante da cidade, quando os integrantes da banda almoçavam. Duas jovens que protestavam contra o grupo dizem que foram agredidas por seguranças e pelo dono do local. Todos foram para a delegacia, mas também não foi prestada queixa.
A deputada Luiza Maia, que esteve na cidade acompanhando a audiência, denunciou a agressão das manifestantes. Segundo ela, os acusados estavam almoçando quando um grupo começou a protestar. “O dono do restaurante um tal de Mata Pires agrediu as pessoas, tomou a faixa e ameaçou puxar uma arma”, diz. 
Por conta da situação, a audiência foi suspensa ao fim da tarde, com a defesa alegando insegurança. Foram marcadas novas datas para ouvir as demais pessoas – dias 17, 18 e 19 de setembro. Vale lembrar que a audiência retomada hoje começou em fevereiro, quando foi suspensa pela Justiça.