PP 3O cenário pré-eleitoral de 2014, com as possíveis dificuldades de reeleição e as divergências intrapartidárias podem trazer mudanças no quadro de algumas siglas. Partido da base governista estadual e federal, considerado o segundo maior em número de prefeitos e vereadores, o PP pode ser um dos partidos impactados por essa conjuntura, apesar de representantes destacarem que “o clima é céu de brigadeiro”. Nos corredores da Assembleia Legislativa circularam rumores de que o ninho progressista pode perder três deputados estaduais. Seriam eles Aderbal Caldas, Luiz Augusto e Ronaldo Carletto. Esse último estaria avaliando a possibilidade de se lançar para a Câmara Federal no próximo ano.
Em busca de sobrevivência política, Aderbal e Luiz Augusto estariam de olho na probabilidade de mudarem de legenda com o objetivo de facilitarem o caminho das urnas. Por sua vez, Carleto, que não teria dificuldades iniciais para se reeleger ou tentar uma vaga em Brasília, sairia do PP, motivado por supostas diferenças com os caciques progressistas, o presidente estadual, deputado federal Mário Negromonte, e o vice-presidente, também deputado federal, João Leão. Nos bastidores, ainda existem burburinhos de que há favorecimento de alguns em detrimento de outros. Compõem a bancada estadual ainda, além de Carleto, Aderbal e Luiz Augusto, os filhos de Leão e Negromonte Jr., respectivamente, Cacá Leão e Mário Negromonte Jr.
Parlamentares preferem cautela – Consta que pré-candidaturas de peso dentro do partido na disputaà Assembleia, como o secretário estadual de Agricultura, Eduardo Sales, o titular da Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional, Wilson Brito, e o diretor executivo da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Vivaldo Mendonça, também motivaria uma virtual saída deles do PP. Porém, a questão foi negada pelos parlamentares. “A possibilidade de sair é muito remota”, disse Aderbal que está no terceiro mandato pelo PP. Seu primeiro partido foi o PTB. Questionado sobre as dificuldades, ele justificou que existem “em caso de o partido sair isolado, mas com o chapão não tem problemas”. Ele destacou que o PP está “em bom momento”, já que cresceu nas últimas eleições e tem “candidatos com condições reais de se elegerem”.
Procurado, Ronaldo Carletto também descartou sua saída do PP. “O partido está marchando unido. Temos amizade com Leão e Negromonte. Se houve confusões foram lá atrás, mas por enquanto está tudo bem. Estamos em paz”, ratificou. Perguntado sobre as condições de vitória, ele disse que “todos os candidatos terão a mesma oportunidade e que há possibilidade de se fazer uma grande bancada na Assembleia”. Carletto confirmou ainda que vai concorrer a uma vaga na capital federal. Luiz Augusto seguiu a linha dos demais ao dizer que não há tendência de se afastar do PP.