IG
Sandro Rocha, em pé.

Sandro Rocha, em pé.

O ator Sandro Rocha, que interpretou o personagem “Rocha” no filme “Tropa de Elite”, publicou nesta semana um vídeo afirmando que vai deixar a Telexfree, empresa investigada por indícios de formação de pirâmide financeira –modalidade considerada ilegal porque só é vantajosa enquanto atrai novos investidores.
O ator foi um dos maiores divulgadores do negócio, por meio de vídeos na internet. Em uma dessas publicações, ele afirma ter ajudado parentes e amigos a entrarem no negócio.
O anúncio da saída do ator do negócio ocorre após o bloqueio do acesso dos associados da Telexfree ao escritório virtual da empresa, no qual era possível verificar as informações sobre ganhos. A empresa afirma que a medida foi tomada após a tentativa de invasão dos terminais por hackers.

Sobre o bloqueio, Sandro Rocha diz ser uma “sacanagem” com os associados. Ele cita o caso de pessoas que largaram o emprego para se dedicar integralmente à Telexfree.
Atuando no Brasil desde março de 2012, a Telexfree vende planos de minutos de telefonia de voz sobre protocolo de internet (VoIP, na sigla em inglês).
‘Eu sou um divulgador como você’
O ator inicia o vídeo pedindo serenidade para os associados da empresa. “Não teve ninguém mais na Telexfree que quisesse que essa situação fosse desenvolvida de forma mais rápida do que eu. O que fizeram contra a empresa foi uma arbitrariedade, uma loucura”, disse.
Sandro Rocha afirma que agiu “muito no emocional” durante o processo de bloqueio de contas da empresa. “Eu também tenho muito dinheiro lá parado, mas quando você convida mais pessoas para o negócio, você acaba se envolvendo com isso”.
O ator declarou que não tem nenhuma responsabilidade sobre a situação jurídica da Telexfree. “Quem tem que tomar medida cabível é a empresa. Eu sou um divulgador como você”.
Rocha afirma, ainda, que vai aderir a outra empresa, a Multiclick –ela também está sendo investigada pelo Ministério Público por suspeita de ser uma pirâmide financeira. 
Telexfree culpa hackers por bloqueio de dados
A Telexfree (Ympactus Comercial Ltda.) bloqueou o acesso de seus associados ao escritório virtual da empresa, no qual era possível verificar as informações sobre ganhos. A empresa afirma que a medida foi tomada após a tentativa de invasão dos terminais por hackers.
Segundo o advogado da empresa, Horst Fuchs, o bloqueio do site é temporário. “Foi detectada uma tentativa de invasão, em que algum hacker estaria tentando invadir o sistema, provavelmente para fazer uma transferência não autorizada”, disse. 
Para o advogado da Telexfree, a medida pretende preservar os direitos dos associados e o cumprimento da ordem judicial. “Nós não vamos permitir que esse tipo de transação ocorra”, afirmou.
Justiça proibiu movimentação financeira
A movimentação de dinheiro da empresa está proibida pela Justiça desde o final de junho. A Telexfree também continua proibida de realizar novos cadastros de divulgadores, sob pena de multa diária de R$ 500 mil.
O Tribunal de Justiça do Acre, que julga o caso, decidiu que havia urgência em “paralisar-se crescimento da rede” para evitar “consequentes prejuízos que poderá causar a um sem número pessoas”.