As manifestações em torno do “Dia Nacional de Luta”, convocadas pelas centrais sindicais nesta quinta-feira (11), já atingiam pelo menos 11 estados do país. Os maiores problemas foram causados pelos bloqueios realizados em cerca de 35 rodovias federais e estaduais.
Uma das principais do país, a Presidente Dutra, que faz a ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro, ficou bloqueada boa parte da manhã, nos dois sentidos, na altura da cidade de São José dos Campos (SP). A estrada já foi liberada neste ponto, mas outra interdição pode ocorrer até o final da manhã, na região de Guarulhos, onde os protestos de funcionários de indústrias da região já bloqueia quatro faixas da pista Marginal da Rodovia Presidente Dutra, no sentido São Paulo, na altura do km 124.
Os Estados mais afetados pelos protestos, até o momento, são Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco e Bahia. Em dia de protestos pelo País, ônibus e metrô também pararam em Belo Horizonte. Ainda em São Paulo, um grupo de pessoas ligadas ao Movimento Passe Livre (MPL) está reunido em frente ao Paço Municipal de São Bernardo do Campo, para dar início a um ato de apoio ao protesto organizado por sindicalistas do setor de transportes da região.
Na capital, mesmo com metrô e ônibus em funcionamento, há 21 pontos de protestos nas ruas. Um deles reúne um grupo de cerca de 200 aposentados que, por volta das 10 horas, subia a Avenida Brigadeiro Luis Antônio, no sentido da Avenida Paulista.
Segundo a PM, não há prejuízos ao trânsito. No Rio de Janeiro, trabalhadores em protesto por melhores condições de vida interditaram um trecho da BR 493, na altura de Itaguaí, região do Grande Rio, por volta das 6h30. Convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos, a manifestação ocupava um acesso ao Porto de Itaguaí, mas foi dissipada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) uma hora depois.