consulta
“Tendência patológica mais ou menos voluntária e consciente para a mentira.
Normalmente elas estão relacionadas a assuntos específicos, porém podem ser ampliadas e atingir outros assuntos em casos considerados mais graves .
Os acometidos por tal doença não possuem consciência plena de suas palavras, logo, acabam por iludir os outros com histórias de fins únicos e práticos, com o intuito de suprirem aquilo de que falta em suas vidas.
É considerada uma doença grave, necessitando o portador dela de grande atenção por parte dos amigos e familiares”.
Bem, essa foi a definição mais clara que obtemos para a enfermidade psicológica denominada mitomania. E, refletindo profundamente ante o comportamento do prefeito de Ilhéus no que diz respeito à construção da nova ponte, juntamente ao nosso corpo de psiquiatras, o diagnosticamos como um portador em potencial da citada enfermidade.
Isso fica bem claro quando ele afirma ser o pai de tal projeto, e responsável em trazê-lo para Ilhéus.
Como assim? Será mesmo que o protagonista mor do jabismo acredita que alguém vai dar crédito a isso que ele insiste em propagar?
Se bem que, vale ressaltar, os mitômanos têm como uma das característica, acreditar piamente nas mentiras por eles proferidas.
Logo, não estranhemos se uma legião de lambe-botas do prefeito saír por aí divulgando que Jabes é o mentor e realizador do projeto de construção da nova ponte que ligará o centro à zona sul de Ilhéus.
Afinal de contas, tal qual um líder religioso às avessas, tudo o que ele afirma, é tido como verdade absoluta pelos seus asseclas ensandecidos.
E aí de quem discordar.