WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
bahiagas Neste site
junho 2013
D S T Q Q S S
« maio   jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  



“INVESTIDORES” DA TELEXFREE TEMEM PREJUÍZOS E ATÉ A FALÊNCIA

Duaine Rodrigues | G1 Acre
Rondinelly da Silva largou o emprego para trabalhar como divulgador da Telexfree (Foto: Tácita Muniz/G1)

Rondinelly da Silva largou o emprego para trabalhar como divulgador da Telexfree (Foto: Tácita Muniz/G1).

O que para muitos era um sinal de esperança de dias melhores financeiramente recentemente tem se transformado em um pesadelo, após a decisão da juíza da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, Thaís Borges, que julgou procedente uma ação do Ministério Público do Acre e suspendeu os pagamentos e a adesão de novos contratos à empresa de marketing multinível Telexfree, no dia 18 deste mês.
A decisão, que é válida até o julgamento da ação principal, sob a pena de multa diária de R$ 500 mil, foi mantida no dia 24, quando o desembargador Samoel Evangelista, do Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC) indeferiu o pedido de revisão das sentenças impetrado pelos advogados da Telexfree. A decisão deixou muitos divulgadores da empresa preocupados com o futuro e com a possibilidade de serem prejudicados por terem investido altos valores.
Um exemplo disso é o caso da cabeleireira Ana de Fátima, de 47 anos. Ela é divulgadora da Telexfree há dois meses e vendeu um automóvel que possuía para investir todo o valor na empresa pensando na formação profissional do filho, que estuda o último ano do curso de medicina em uma faculdade da Bolívia.
“Peguei meu carro, um Gol modelo 2000, e vendi por R$ 12 mil para investir na Telexfree pensando que quando ele terminasse a faculdade pudesse ter o dinheiro para poder investir na sua revalidação. Agora, estou com meu dinheiro preso e sem carro. Ainda não tirei o valor que investi. Estamos na esperança que a conta seja desbloqueada”, comenta.
Segundo Ana, caso os pagamentos continuem bloqueados ela não sabe o que será do futuro já que a renda que tira como cabelereira não é suficiente para custear o ensino do filho e o sustento mensal da família.

“Se não desbloquear não sei o que vamos fazer sem dinheiro nenhum. Tenho uma renda cerca de R$ 1,6 mil por mês e a faculdade custa R$ 1,2 mil. Com o investimento da Telexfree a expectativa era receber cerca de R$ 2,4 mil por mês”, lamenta.
Quem vive situação semelhante ou até mais crítica é Rondinelly da Silva Boaventura, de 33 anos, que largou o emprego recentemente para se dedicar exclusivamente ao trabalho na Telexfree.
Ele conta que investiu aproximadamente R$ 30 mil há cerca de três meses, valor obtido também através da venda de um carro, e ainda não recuperou o valor. Para completar, sua esposa está gestante, o que deixa o divulgador ainda mais preocupado.
“O único bem que tínhamos era um carro, investimos porque estava todo mundo dizendo que dava retorno, que veio para ajudar, mas pelo que estamos vendo, infelizmente, estamos sendo prejudicados. Se estamos ganhando dinheiro honestamente, não vejo necessidade de acontecer esse tipo de situação do Poder Judiciário fazer isso com as pessoas. Se a Telexfree não for liberada vamos ter que entregar nas mãos de Deus. Ninguém sabe o que vai fazer”, afirma.
Já o divulgador Charles Freitas, de 36 anos, que é corretor de seguros, investiu R$ 33 mil há  sete meses. Ele diz que já conseguiu recuperar o investimento, mas espera providências o mais rápido possível sobre o caso.
“Pedimos que não tenhamos o nosso direito cerceado, nem o de decidir, nem o de receber pelo que trabalhamos. Acho que deve ser levado em consideração o livre arbítrio. Não estou questionando de forma nenhuma a decisão da Justiça. Se o objetivo é garantir o direito das pessoas, o direito do consumidor, acredito que nós não estamos nos sentindo defendidos dessa forma. Quero trabalhar. Se existe alguma irregularidade, que seja colocada às claras”, declara.
Divulgadora de Rondônia no Acre: ‘Se a Telexfree fechar estou falida’
A comerciante Clemilda Andrade, de 41 anos, é natural da cidade de Jaru, em Rondônia, situada a cerca de 286 km de Porto Velho, capital daquele estado, e está em Rio Branco desde a segunda-feira (24) para acompanhar o desenrolar do caso na Justiça acreana.
Clemilda relata que aderiu a Telexfree em janeiro deste ano e, ao todo, já investiu cerca de R$ 180 mil. Sem ainda recuperar o valor, ela teme pela falência em um futuro próximo, caso a decisão da juíza Thaís Borges não seja revertida.
“Vendi meus bens porque tenho um comércio, que estava falido porque não conseguia mais pagar impostos e pagar funcionários. Para eu levantar o comércio, a única fonte que encontrei foi a Telexfree. Consegui tirar metade do que foi investido, mas se a Telexfree fechar estou falida. Nunca fiquei sem receber um dia, tenho trabalhado bastante. Cadastrei quase 500 pessoas. Sou de Jaru e estou aqui porque preciso desse dinheiro. No dia que parou, quando foi anunciado o bloqueio do empresa, já desci para cá e só vou sair daqui quando essa situação for liberada”, garante a comerciante.

 

6 respostas para ““INVESTIDORES” DA TELEXFREE TEMEM PREJUÍZOS E ATÉ A FALÊNCIA”

  • eduardo says:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    isso é coisa de bandido, não existe dinheiro facil, gostaria de saber e dar muita risadas dos depoimentos dos empresarios e politicos de ilhéus que também investiram!!!
    adorooooooooo

  • Rodrigo Santos says:

    A administração publica de nosso país É UMA VERGONHA. Ora, porque então as autoridades não colocam critérios para abertura de empresa neste setor de marketing multinivel, tendo em vista que surgem ano a ano novas empresas. Se houvesse uma autorização antes da empresa abrir pelo orgão regulamentador ISSO TUDO SERIA EVITADO. Se for comprovado a idoneidade da TELEXFREE, o MINISTERIO PUBLICO irá pagar os danos causados a TELEXFREE e aos divulgadores???? A culpa disso tudo não é da Telexfree muito menos dos divulgadores. A culpa esta na PÉSSIMA administração de nosso país que não regulamenta os setores de maneira adequada.. Acorda Brasil . Sugiro que o Ministério publico do Acre fiscalize o que foi feito com os milhões pagos pela TELEXFRE ao GOVERNO FEDERAL.

    EMPRESA: TELEX FREE
    SISTEMA DE VENDAS: MARKETING MULTINIVEL
    PRODUTO: VOIP (CHAMADAS PARA CELULAR E FIXO VIA INTERNET)
    DIVULGADORES: PAGOS
    IMPOSTOS: PAGOS

    QUAL É O PROBLEMA?? O POVO BRASILEIRO PAGA BILHÕES PARA AS OPERADORAS DE TELEFONIA MOVEL VIVO, TIM, CLARO E OI. O TELEX FREE TROUXE PARA O BRASIL UM SISTEMA QUE EM PRIMEIRO LUGAR TRAZ ECONOMIA NAS LIGAÇÕES EM SEGUNDO REMUNERA QUEM TRABALHA. SERÁ QUE ESTAS EMPRESAS ESTÃO PREOCUPADAS COM UM CRESCIMENTO MAIOR DA TELEXFREE???

  • David says:

    “O argumento do órgão (público que condena este negocio) é que, em vez de depender da venda dos pacotes VoIP, o lucro da empresa e de seus promotores – chamados de divulgadores – depende sobretudo da entrada de novos integrantes, como numa pirâmide financeira.
    .
    Segundo a juíza Thaís Kalil, é vantajoso para os promotores tentarem cadastrar outros divulgadores na rede do que efetivamente tentar vender o produto VoIP.”
    .
    O produto não sustenta o negocio, pois a injeção de dinheiro primordialmente cabe-se aí (não há consumo de VoIP por consumidores finais), até mesmo para o pagamento da veiculação de anúncios depende desta receita, logo, sustenta-se a necessidade de adesão de novos integrante para garantir o lucro, caracterizando Pirâmide.
    .
    Se você não concorda que a telexfree (Ympactus Comercial Ltda) de fato se importa com o consumo do VoIP, age com igenuidade, e se apoia que o importante é ter pessoas de fato para continuar o seu negocio, apoia o tipo de negocio que que gera prejuízo a terceiros, assim dando continuidade ao ganho em cima de perda de outras pessoas.
    .
    Simplesmente o produto telexfree é caro, e não é consumido, nem mesmo pelos divulgadores (nem ao menos facilitar o uso deste produto a empresa se mostra capaz) e isso mancha a tentativa de consolidação do real mercado de Marketing Multinível Brasileiro.

  • leo says:

    dinheiro facil não pois temos que divulgar e vender o sistema voip da empresa…

    o que vocês não estão vendo é que a tlexfree naão tem nada a ver com isso quem esta prejudicando as pessoas é a juiza no acre. que impede a telexfree de realizar seus pagamentos e vender o plano da empresa pois se ela não tivesse feito isso garanto que não teria ninguém aqui se lamentando…

    sou 100% telexfree e tudo vai dar certo…..

  • Felipe says:

    Como o Acre era “esquecido”, inventaram essa denuncia para se aparecer e o o Brasil todo ficar sabendo que o Acre existe. Telexfree está todo legalizado.
    ENTÃO!!! Qual é a prova que a Telexfree é uma pirâmide em juíza?
    Parece até que as pessoas não gostam que ninguém se deem bem na vida. Só querem ver a desgraç@ para as pessoas!
    Vão investigar o GOVERNO, pois lá acontece coisas piores como desvios, roubalheiras e tudo mais! Mas, não! Vocês parecem que fazem parte desses políticos!

Deixe seu comentário

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia