queda-de-braco1A possibilidade de uma, até outro dia inconcebível, aproximação entre DEM e PT na Bahia, vem causando rebuliço nos bastidores políticos.
O que era apenas fruto de uma grande especulação, ganhou ares de realidade após recente declaração do governador Jaques Wagner , afirmando que trabalhará para que o herdeiro mor do carlismo no estado, o prefeito de Salvador ACM Neto, apoie seu candidato à sucessão governamental de 2014.
Visivelmente incomodada com tal situação, a senadora baiana Lídice da Mata (PSB), que se refere à ACM Neto como “o símbolo do carlismo”, demonstrou estranheza. Em entrevista a uma rádio da capital ela afirmou que precisa entender quais seriam as razões para que o governador tomasse essa medida. “Não quero arriscar um palpite”, declarou a senadora.
Tudo indica que ACM Neto será mesmo motivo de disputa entre os grupos que pleiteiam o Paço de Ondina. O candidatíssimo Geddel (PMDB) também já declarou que não abre mão do apoio do prefeito soteropolitano.
Vale ressaltar que o cacique baiano do PMDB declarou que também está disposto a conversar com o PT.
Pois é, o embate enxadrista político está aberto, e, pelo andar da carruagem, tudo pode acontecer. Até mesmo nada.