Por Israel Nunes, procurador federal e professor universitário
israel artigoA diferença entre o derrotado e o vencedor é esta: o derrotado se vê como derrotado; o vencedor se vê como vencedor. Um grande amigo dizia que “política se faz com os olhos no futuro”. Parafraseando ele, concurso se faz com os olhos no futuro. O concursando será vencedor se não desistir. Não há barreira que resista à persistência.
Já fiz muitos concursos públicos antes de me tornar Procurador Federal. Dezenas. Técnico Judiciário da Justiça Federal, técnico judiciário da Justiça do Trabalho, técnico bancário da Caixa Econômica Federal, Operador de Triagem e Transbordo dos Correios, Técnico do Ministério Público da União, Policial Rodoviário Federal, Delegado Federal, Defensor Público da União, Advogado da União, Procurador Federal (só passei no segundo), Delegado de Polícia do Estado de Minas Gerais, Defensor Público do Estado de Sergipe, Procurador do Estado de Sergipe, Procurador do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, Procurador do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, Defensor Público do Estado da Bahia… Na maioria, fui reprovado.
Sim, perdi mais do que passei. E o que importou? Importou sobretudo o estado de espírito. Cada um deles foi visto como uma batalha. Nunca colecionei derrotas, colecionei batalhas. Não é necessário vencer todas para ganhar a guerra. Nem sequer vencer a maioria, mas vencer a mais importante. E esta venci.
A diferença entre o derrotado e o vencedor é esta: o derrotado se vê como derrotado; o vencedor se vê como vencedor. Um grande amigo dizia que “política se faz com os olhos no futuro”. Parafraseando ele, concurso se faz com os olhos no futuro. O concursando será vencedor se não desistir. Não há barreira que resista à persistência.

Mas há que ter cuidado. Sucesso não se confunde com êxito. Êxito é uma vitória passageira. Ser aprovado em um concurso, simplesmente, não quer dizer ter sucesso. Sucesso é ser aprovado no concurso para o cargo que se almeja como realização de vida profissional. Ou sua vitória será apenas de uma batalha, não da guerra, visto que consumirá seu breve êxito em frustrações e infelicidade sem fim, em uma derrota. Por isso insisti, mesmo após tomar posse no primeiro cargo público efetivo. Porque o que queria era outra coisa, que veio com a persistência e com a não acomodação na primeira coisa que apareceu. Por isso, o concursando deve persistir até alcançar o seu sonho.
Uma das coisas mais difíceis na vida do concursando é a obtenção da disciplina indispensável ao estudo. E isso é uma dificuldade que nenhum professor de cursinho contorna com facilidade, pois depende mais do estudante do que do mestre.
Mas há algumas dicas que podem facilitar a obtenção da disciplina. Seguem 3 dicas logo abaixo.
1) Elimine os agentes dispersores da atenção e concentração.
Hoje, a maior barreira, por incrível que pareça, não é o namorado ou namorada, embora existam uns que estão mais para “encostos” do que para companheiros. A maior barreira vem das novas tecnologias de entretenimento. Corte o facebook e o twitter. A curiosidade de ver o que os outros estão postando ou fazendo nas redes sociais, quantos “curtiram” ou “compartilharam” as suas postagens faz o concursando consumir um tempo precioso do seu dia. Se não consegue ficar sem, defina um horário de acesso e pronto. Quem tem smartphones com acesso às redes sociais deve ter cuidado redobrado. A tentação de olhar o aparelhinho toda hora é irresistível. E são minutos preciosos do dia. Vai de ônibus para o cursinho ou trabalho? Coloca o chip naquele aparelhinho velho que está na gaveta, mas que só faz e recebe chamadas, põe o livro debaixo do braço e vai. Em vez de ficar aguardando olhando no face, vai dando uma lida no conteúdo. São cerca de trinta minutos valiosos por dia. Idem para enfrentar filas de bancos, cartórios, consultórios médicos, sala de espera de audiências e tudo o mais que envolva esperar ociosamente.
2) Crie uma roruna de vida.
Pessoas sem uma rotina certa estudam menos do que as quem têm uma rotina diária bem predefinida. As refeições devem ser realizadas não só em horários predeterminados, mas em locais predeterminados. Isso obrigará você a racionalizar o seu tempo, para a escolha de um restaurante mais próximo, mesmo que você faça as refeições fora de casa. Defina o horário e local de atendimento às pessoas, evite atender a qualquer um na rua, por exemplo, pois isso faz com que o seu dia se desorganize.
3) Mantenha-se próximo de pessoas obstinadas e longe dos desinteressados da própria carreira.
As pessoas de quem você se rodeia ou com quem você se relaciona são importantes. Pessoas disciplinadas e com certa ambição (desde que éticas) acabam fazendo com que você incorpore parte dos mesmos valores, de.modo que as dificuldades na obtenção da disciplina do estudo parecerão menores. Além disso, nos dias em que você não esruda, sentirá um pouco de incômodo por isso, o que, a contrario sensu, gerará uma sensação de dever cumprido o dia em que estudar, tornando esse hábito cada vez mais prazeroso. Pessoas desinteressadas e dispersas fazem com você incorpore valores semelhantes, tornando a disciplina indispensável para o seu sucesso um peso maior do que o que realmente é.